ALDE - Capitulo 5

Capítulo V

Uma semana se passou. Edward tentava adequar a rotina da faculdade por vezes se estressava e sentia uma imensa agonia. Adorava as aulas principalmente as que envolviam cálculos, pois podia avaliar seus conhecimentos, muitas vezes se perdia nos próprios pensamentos ou se entediava com alguns assuntos pois sabia até mais do que o próprio professor.

Aborrecia-se principalmente com o hábito adquirido por Esme e Carlisle de ligar duas vezes ao dia para saber do filho, preocupação normal de pais que ainda não se acostumaram com a “distância” do filho, sem saber o que ele sentia ou pensava.

O professor de Astrofísica passou exercícios para os seus alunos sobre o assunto em dupla. Mike se pôs ao lado de Edward que nem ao menos copiava o exercício, lia e interpretava as questões no próprio quadro e destrinchava a resposta no caderno.

Mike esticou - se para olhar as respostas. Edward nem ao menos o olhou, concentrado nas fórmulas.

- Quer ajuda? – Mike se inclinou para falar com ele.

- Não, já estou acabando.

- São cinco questões! – Mike exclamou pasmo. Mal sabia ele que era impossível entender o raciocínio de Edward, sua mente era impenetrável.

- Sim. – Edward respondeu sem olhar para Mike, já terminava a quinta questão. Quando terminou finalmente olhou para o colega ao lado, porém não diretamente.

- Terminei. Ponha seu nome e entregue.

- Não acha melhor conferir?

- Pra quê?Confie em mim as questões estão corretas. – Edward disse presunçoso, essa era a única área de sua vida em que podia depositar verdadeira confiança.

- Vou confiar em você – Mike respondeu arrumando as respostas.

- Faça isso.

Edward se levantou antes de Mike e seguiu para a porta para esperá-lo, alguns alunos olharam para Edward, embasbacados enquanto se matavam para terminar as primeiras questões, o professor olhou de Edward para Mike intrigado.

- Já acabaram?

Mike afirmou com a cabeça e saiu da sala junto com o colega.

- Ou você é muito inteligente ou é muito burro entregar naquela velocidade não é normal.

- A primeira opção é a mais plausível. – Respondeu Edward rindo.

- Qual é o seu mistério?

- Não entendi.

- Você anda distraído, não anota nada e sabe de tudo.

Edward refletiu por um instante e respondeu.

-É uma questão de subjetividade.

- Subjetividade? – Questionou Mike confuso.

- Apenas assimilo conhecimentos de um modo diferente do seu. - Respondeu como se fosse óbvio. Continuou andando olhando para os próprios All Stars pretos surrados.

- Diferente mesmo.

Mike tocou seu ombro de leve.

- O que é agora Mike? – Perguntou impaciente. Mas Mike não estava o importunando, apenas chamava sua atenção para Isabella que conversava animadamente com um colega no meio do corredor. E parou logo que o avistou.

- ah, não – Edward murmurou agoniado com a presença de Bella.

- Ah, não?Ela é Isabella Swan impossível negar uma garota como ela.

Eu neguei, pensou ele.

Edward coçou a nuca, nervoso, ao ver que ela estava vindo em sua direção.

- Oi Edward, oi Mike. – Ela sorriu para Edward e olhou rapidamente para Mike.

- Vocês se conhecem? – Perguntou Edward olhando de relance para Bella.

- Nos conhecemos na festa que você por acaso não foi. Campeonato de bebida. – Bella riu da lembrança da festa.

- Foi empolgante!

- Não sabia que vocês eram colegas. Legal. – Afirmou Bella.

- Eu tenho que ir Edward prontificou-se interrompendo o papo, Isabella ainda o perturbava.

- Ir para aonde?Nós saímos mais cedo da aula, esqueceu? – Mike indagou.

- Vamos para o refeitório vocês sentam comigo e com meus amigos.

- Sentar? Com pessoas? – Edward questionou preocupado.

- Sim. Não se preocupe. São Alice, Rose, Jasper, Emmet, Jacob e eu!

- Isso me deixa muito mais preocupado. – Murmurou para si mesmo, se perguntando se todos já haviam esquecido o episodio do beijo.

- Ah, vamos cara. Você precisa se socializar. – Incentivou Mike.

- Concordo com o Mike.

De certo Edward impressionou-se com o esforço tanto de Bella quanto de Mike, que apesar de chato e meio grudento se mostrava um bom colega de classe e quem sabe amigo.

Nunca ninguém além de sua família se esforçava para ele se socializar. Teve que reconhecer esse contato.

- Tudo bem, eu vou se o Mike parar de me chamar de cara.

Bella sorriu vitoriosa pelo menos uma vez Edward lutava contra sua natureza e tentava se misturar. Ela e Mike conversaram um pouco até dar o horário do intervalo, Já Edward não prestava atenção na conversa olhava para os lados, pensativo e preocupado.

Assustou-se um pouco com movimento no refeitório, mas mesmo assim encarou os ecos do seu medo e partiu para o que seria o purgatório.

Juntou-se ao resto do grupo na mesa central. Teve que enfrentar os olhares de todos surpreendendo- se com ele ali.

- Ei, irmãozinho! – Alice disse empolgada – Hey Mike.

- Oi. – Edward cumprimentou todos e se sentou ao lado de Mike.

- O Edward e o Mike vão nos dar o prazer da sua companhia hoje. – Disse Bella animada. Não escondeu a sua animação ao ver Edward ali, Alice sabia que o irmão fazia um tremendo esforço para se socializar.

- Não vão comer?

Edward balançou a cabeça negativamente e Mike acompanhou o novo amigo.

- Então foi esse o cara que bebeu feito um louco na festa? – Perguntou Emmet.

- Sim, fui eu.

Edward fitou Mike confuso.

- Bem acho que vocês já conhecem todo mundo. Emmet, Rosalie minha irmã, Jacob meu melhor amigo, Jasper meu irmão e Alice a chata. – Bella apontou para cada um respectivamente.

- Seus irmãos não se parecem com você. – Edward afirmou encarando a mesa.

- Somos irmãos por parte de pai. – Bella respondeu.

- Está justificado. – Todos riram.

Bella sorriu, pelo menos indiretamente Edward se dirigiu a ela, mesmo que seja uma mera banalidade.

- Estou ferrado, se não melhorar meu tempo na natação posso não ter chances na regional. – Jacob falou suspirando.

- Relaxa Jake. Você é bom. – Consolou Jasper.

Edward olhou para ele, mas não diretamente.

- Você quer melhorar seu tempo na natação? – Edward refletiu - Há um modo de conseguir isso.

- Sério?Como?Milagre?

- Tudo está ligado à física, a maneira como você nada, seus movimentos, a piscina a água tudo é física, é uma relação, uma interação. – Ele explicou.

Não só Jake como todos na mesa o olhavam. Alice temeu, pois sabia o quanto Edward odiava ser o centro das atenções.

- É só uma questão de estudo. Mas claro que antes precisamos analisar as medidas utilizadas.

- caramba!Você é bom!

- Esse é meu amigo. – Gabou-se Mike.

- Esse é meu irmão. – Gabou-se Alice.

- Você é bom com os números mesmo? – Perguntou Emmet.

- Ele fez cinco questões difíceis de termologia em tempo recorde. – Mike interveio, Edward rosnou para ele.

Conseguiu tudo que não queria: chamar a atenção. Mas assim que deveria ser, pois seu intelecto avançado não iria passar despercebido por ninguém.

- É melhor irmos Mike.

E então se levantou em meio aos olhares e múrmuros.

- Ei Edward. Apareça no meu treino sábado de manhã. – Gritou Jacob. Edward apenas acenou com a cabeça e se afastou. Estava cercado de gente por tempo demais. Ainda teria uma aula. Não que estivesse atrasado, mas simplesmente não se sentia seguro ali. E queria is antes que o corredor se enchesse de gente.

- O que está rolando?

- Rolando? – Questionou ele.

- É!O que eu quero dizer é: Você e a Isabella.

Edward parou no meio do corredor e voltou-se para Mike.

- Eu não sinto nada por ela.

Queria poder dizer isso ao seu coração, a si mesmo que não sentia nada por Bella. Nunca sentiu nada tão forte por alguém, como se um meteoro chamado Bella atingisse o território de sua mente fazendo tremer as estruturas. Sentimentos novos e inexplicáveis cercavam seu coração assustando-o e o contrariando.

Quanto mais tentava se afastava de Bella mais se aproximava.

- Nós somos incombináveis.

- Desculpe Edward. Não precisa se irritar é que a Isabella olha para você de um modo intenso, diferente.

Edward parou novamente e olhou de relance para Mike coçando a nuca com força. Lembrou da forma como seus olhares se encontraram na primeira vez que a viu.

Balançou a cabeça, irritado.

- Não pode ser.

- É sim. Ela gosta de você.

- Não! – Exclamou exasperado.

Não queria se envolver com ninguém sabia como as pessoas se sentiam em relação a ele, tudo nele conspirava contra relacionamentos. Sentia-se inútil,incapaz de viver um sentimento a toda prova,tinha medo de magoar outras pessoas além de ele mesmo. Já se culpou demais por exigir demais devido a suas barreiras.

Passou o resto do dia calado, dentro de si mesmo, no seu conflito interno. Tentou distrair-se, mas como não havia trabalhos para faculdade foi jogar “Star Wars – Empire at War” no computador, já havia zerado o jogo, mas gostava de testar seus próprios limites medir sua inteligência e habilidade, achava divertido se desafiar.

- Eddie, vamos dar um passeio?A galera está toda na praça.

Encontrava-se tão absorto derrotando os inimigos do jogo que nem notou quando Alice entrou no quarto.

- Não.Faça bom proveito. – Respondeu voltando os olhos para o monitor.

- Se você quer começar uma vida nova sugiro que comece agora. Eu não estou te chamando estou ordenando!

Edward fitou a irmã incrédulo. Alice geralmente era doce até quando queria ser firme, chegava a enjoar da doçura de irmã, mas seu tom de voz desta vez deixou claro para Edward que seria melhor não despertar a ira da baixinha, então contra a vontade desligou o computador e pegou o casaco cinza inseparável no cabide e vesti-o.

- Pronto – Disse enquanto saia do quarto revirando os olhos.

- Dá pra por um mínimo sorriso nesse rosto?

- Não Alice, isso é fisicamente impossível. – Respondeu impaciente.

- Pois torne fisicamente possível. – Retrucou Alice.

- Você está de tensão pré- menstrual? Explicaria sua mudança de humor repentina.

- Não! Estou farta de te ver sozinho, isolado. Olhe ao seu redor, o mundo é grande Edward, explore-o.

Edward não entendeu aonde a irmã queria chegar.

- Eu não entendo...

- Estou dizendo que a faculdade é o ápice da nossa formação. Temos que curtir, aproveitar às festas, as pessoas, as amizades, pois elas vão nos preencher. Todo e qualquer experiência é válida.

- Você sabe que eu não consigo Alice. – Respondeu dando um suspiro pesado.

- Claro que consegue! Você é irmão de Alice Cullen. Se você se esforçasse mais...

- Se tudo o que você está dizendo leva a Isabella Swan desista! – Disse entre dentes.

- Por quê? Ninguém vive sozinho. Tente ser amigo dela – Edward silenciou –se e se pôs a refletir sobre o que a irmã dizia. ”Ninguém vive sozinho”. Enquanto caminhava olhava para os próprios tênis.

- Ela me perguntou sobre você.

Levantou o olhar e ergueu as sobrancelhas.

- O que você disse? – Tentou parecer casual como não se importasse, mas ele se importava principalmente com relação ao que Alice havia dito para Bella.

- A pergunta é: o que ela disse? Mas você já deve ter uma idéia do que ela disse.

- Tenho? – Perguntou duvidoso.

- Sabe. Por que vocês não almoçam juntos ou quem sabe jantam?

- Por que eu posso jantar ou almoçar em casa, sozinho.

Alice revirou os olhos sem acreditar nas palavras do irmão.

- Edward será que você poderia se desligar do seu mundo e ver que existe outro ao seu redor?

- Não, meu mundo é mais seguro. – Respondeu coçando a nuca aquela conversa o deixava irritado, quanto mais tentava afastar Bella de seus pensamentos mais ela se aproximava. Só servia para lhe mostrar o quanto era impossível.

-Só pense no que eu disse.

Não era a idéia de sair com Bella que o incomodava, era o fato de não conseguir manter uma simples conversa normalmente ou nem ao menos contanto visual. Seria como sair com uma árvore ou qualquer outro objeto, era assim que via a si mesmo.

- Por que ela jantaria comigo?

- Pergunta besta, porque ela gosta de você – Explicou impaciente.

- Quais as probabilidades de acerto nessa sua afirmativa? Qual a margem de erro?

- Na matemática não há riscos? Não se arrisca?

- Sim, em todo evento há riscos. Desvios.

- Então!Você é um homem lindo e solteiro e ela é uma mulher linda e solteira – disse Alice como se chegasse a uma conclusão obvia, mas para ele não era tão obvia assim.

Chegaram à praça da cidade. Havia carros estacionados, pessoas conversando nos vários estabelecimentos ali. Um grupo em especial chamou sua atenção, Jasper, Emmet, Rosalie, Jacob e Isabella sentada no colo de um garoto de cabelos escuros espetados, de repente o garoto virou o rosto dela para si e a beijou. Sentiu um aperto no coração, um desejo imenso de ir embora, desviou o olhar da cena e percebeu que Alice caminhava até eles.

- Eu não vou Alice. – Murmurou.

Alice olhou para o grupo e olhou para o irmão em seguida, só aí entendeu.

- Desculpe por isso, a Bella e o William foram namorados ano passado não sabia que ele estaria aqui.

- Eu não vou porque eles são seus amigos não meus amigos são seus amigos! – Disse entre dentes.

- Eles podem ser seus amigos também. Apenas dê uma chance á eles. – Disse pegando Edward pela mão e o arrastando até onde os amigos estavam contra a vontade. Edward soltou - se e enfiou as mãos nos bolsos do jeans surrado.

- Boa noite galera! – Cumprimentou Alice animada logo se sentando à mesa.

- Alice! Pensávamos que não vinham – Jasper empolgou –se ao ver Alice que nem ao menos olhou para ele. Ela sempre dificultava as coisas para ele.

- Tive que arrastar certo alguém.

- Oi Edward – Jasper acenou para ele que permanecia em pé.

- E aí, amigo – Emmet acenou para Edward e voltou a trocar carinhos com Rosalie.

Ao ver Bella rindo com o garoto, Edward sentiu algo que jamais sentira. Algo que ia além de raiva ou ódio, de tristeza, ele sentiu ciúmes, o veneno mais cruel que existe, foi à primeira vez que o provou.

- Senta aqui Edward – Jacob apontou a cadeira entre ele e Alice, aceitou e sentou-se. De certa forma sentia afeição por Jacob, ele aparentava ser do bem. Já Jasper teve a impressão de ser quieto e, mas não muito reservado. Emmet lhe parecia animado e sorridente, não entendia porque ele sorria tanto. Rosalie parecia-lhe responsável como Alice havia dito, mas meio extravagante. Já Bella era uma junção de personalidades que o deixava tonto.

- Sabia que a fase da lua representa o quanto dessa face iluminada pelo Sol está voltado também para a Terra. Hoje mesmo ela está minguante ou seja a lua está diminuindo. – Bella arriscou chamando a atenção de todos e principlamente a de Edward.

- Desde quando você entende de astronomia? – perguntou Jasper intrigado.

- Desde que o Edward chegou a cidade – Murmurou Rose provocando risinhos de todos.

Bella a fuzilou com olhar e depois olhou para Edward rezando para ele não ter ouvido o que a irmã disse.

- Isso é tão obvio. – Bella comentou com um suspiro,com o Google a um clique qualquer coisa se torna óbvia.

- É mesmo, ela está certa – Disse Edward enquanto admirava a lua.

Sentiu-se mal por subestima-la, surpreendendo-se pelo fato de ela saber algo sobre seu assunto de interesse.

Bella sorriu vitoriosa, conseguiu chamar a tenção do gênio, sentiu esperanças novamente,aos poucos conquistaria a confiança de Edward, ou pelo menos tentava.

- O que foi B.? – Lembrou-se da existência do ex-namorado que acabara de beijar. Se arrependeu subitamente do ato no momento em que avistou Edward, perguntando-se se ele havia visto o beijo.

- Nada – Resondeu sem graça se levantando do colo de Will e se pô ao lado de Edward que agora em pé,andava de um lado para o outro coçando a nuca.

- Tudo bem? – Perguntou.

- Sim e com você?

- Tudo bem.

- Concordamos em algo então.

Engraçado o modo como Bella se tornava uma mera adolescente leiga quando o assunto era Edward Cullen.

Bella revirou os olhos impaciente.

- Quer dar uma volta? – Perguntou sorrindo timidamente ainda sentia-se apreensiva perante a ele.

- O que? – Edward perguntou sem entender aonde ela queria chegar.

- Uma volta, um passeio comigo Edward!

- Talvez. Onde vamos? – Coçou a nuca pensando no que Alice havia dito.

- Não muito longe, talvez pra casa.

- É melhor avisar a Alice.

- Deixa comigo, eu falo com ela. – Ela foi até Alice que conversava com Jacob e cochichou algo em seu ouvido e depois voltou. Edward a acompanhou com o olhar, reparando que todos na mesa olhavam para os dois, virou de costas evitando os olhares.

- Ele não vai se importar? – Apontou para o ex dela que falava no telefone distraidamente.

- Não.

Deu de ombros e a seguiu, Bella igualou seus passos aos dele.

- E aí? – Perguntou sem ter muito o que dizer.

- O quê?

- Lugar agitado,você não gosta de lugares agitados.

- Boa observação. Diferentemente de mim você parece gostar. – Foi mais uma afirmação.

- Sim,mas tem horas que cansa, como agora.

Edward sentiu-se apreensivo, dividava da própria vontade de estar ao lado de Bella, não sabia que parte iria vencer na sua luta interna.

- Eu não sou muito bom em comunicação verbal.

- Nota-se, você vive calado. Sozinho. É uma pena, adoraria ver as estrelas com você um dia desses – se aproximou dele quase num sussurro.

Edward tremeu diante da voz e da proximidade de bella,uma fonte de calor emanou pelo seu corpo,coçou a nuca nervoso.

- Também não sou bom em comunicação verbal proximal.

Bella riu, aos poucos estavam se entendendo.

Frustrou-se por ele não notar a malícia em sua voz.

Stop crying your heart out - Oasis

- Você é engraçado. – Edward sorriu timidamente, sentiu a mão pequena e fria de Bella em seu rosto, estremeceu ao toque – e tem olhos lindos, pena que não me olha.

- Não consigo,desculpe – Disse rápido demais e se afastando.

- Timidez? – Bella perguntou mantendo a distância para não assusta-lo.

- Receio, medo – Disse como se fossem palavras nocivas.

- Desculpe, então. – Disse pondo as mãos no bolso da calça frustrada, controlando o desejo de tocá-lo.– Olha, Edward eu estou aqui em paz não precisa ter medo de mim.

- Eu... – Refletiu um pouco tentando chegar a uma conclusão. – Não tenho medo de você exatamente. É só que os seres humanos são tão inesperados que tenho medo de...

- De quê? – Perguntou curiosa.

- De cometer erros. Eu não tenho muita experiência.

- Você tem medo que tem magoem, é isso?

- É e ao contrário também – Respondeu rápido demais.

- Alguém já te magoou? – Sentiu- se invadido com a pergunta.

- Boa noite Isabella – Disse adiantando os passos. Bella teve que correr para alcança-lo.

- Edward! – Gritou em meio a praça.

Algumas pessoas a olharam mas ela nem ligou precisava falar com ele.

Tocou seu ombro o fazendo virar, abaixou o rosto para não encara-lo.

- Desculpe se te invadi, ok? Eu sou curiosa. E me chame de Bella.

- Bella – Repetiu. – Está tudo bem, Bella.Tchau.

Ele voltou a caminhar.

- Espera. Eu te levo aposto que não sabe voltar.

Teve que admitir com um aceno de cabeça.

- Espera, você trouxe as chave de casa? – Perguntou desconfiado das suas verdadeiras intenções.

- Trouxe – Respondeu Bella sem entender.

- Então vamos – Aliviou-se ao ouvi-la.

Foram caminhando sem mais perguntas, calados. Ás vezes Bella olhava para Edward que encarava os tênis.

Edward olhava para ela de canto de olho, era impossivel não notar como ela esta particulamente adorável aquela noite.

- Então tchau – Despediu-se de Bella de frente para ela mas sem olhar nos seus olhos, ele ainda tinha o medo e o temor em suas orbes.

Bella arriscou-se numa maior aproximação e ebcostou seus lábios levemente na bochecha de Edward sentindo o suave espetar da sua barba por fazer. Depois de alguns segundos,o deixou ali paralisado, girou a chave na porta e entrou.

Edward levou a mão ao lugar onde Bella depositou um beijo e suspirou involuntariamente.

Entrou no apartamento e seguiu diretamente para o quarto deitando na cama de sapato sem ligar para nada. A cena de Bella e o ex namorado repetiu-se em sua mente várias vezes, cerrou os punhos.

Assustou-se com a nova sensação que o dominava respirou fundo, a raiva o corroia sem saber o real motivo só sabia que não poderia esquecê-la tão facilmente, havia algo mais forte, uma força cósmica que queira unir os dois e ele criava suas próprias barreiras impedindo a entrada dessa força. Mas Edward sabia que quando os astros conspiravam a favor de algo todo o resto se tornava inútil.

0 comentários :

Postar um comentário