ALDE - Capitulo 4

Edward não havia dormido bem, acordou ansioso e nervoso. Tremia só de pensar no que viria pela frente, era seu primeiro dia de aula.

Alice levou Edward para a faculdade no seu Cadillac conversível, um mimo do seu amado pai.

Edward saiu rapidamente do carro quando Alice estacionou, evitando perguntas sobre Bella. Já bastava sua memória que não permitia esquecer.

- Seu carro é muito apelativo.

- Ah, da próxima vez vem de bicicleta. - Respondeu Alice ajeitando os óculos escuros no rosto.

- Virei mesmo.

Alice o guiou até sua sala, Edward tremia tenso, eram muitas mudanças em poucos dias, não tinha certeza se assimilaria aquilo. Olhava para tudo, gravando cada parte do lugar em sua mente. Sentiu-se nervoso com a quantidade de pessoas que circulavam pelo corredor.

Coçou a nuca com as mãos tremulas.

- Pare de coçar a nuca, você irá feri-la. – Advertiu Alice ao chegarem à porta da sala.

- Não vou não.

Edward sabia que era mentira, já feriu a nuca várias vezes devido ao nervosismo que reinava soberano em situações como essa, perante as situações novas e possíveis ameaças a sua estabilidade interior. Era uma mania, uma das suas manias, já fazia parte do seu universo particular.

- Geralmente o primeiro dia de aula é um saco. – disse Alice revirando os olhos. Viu o irmão bufar impaciente, ele entendia tudo ao pé da letra. - Ah, desculpe, saco quer dizer ruim, sem graça, chato.

Edward socou a nuca insistentemente com mais força. Respirou fundo pela enésima vez no dia.

Alice puxou o irmão para um abraço fraternal, Edward não se incomodou a luta interna que travava tomava sua atenção.

- Tchau. – Alice se distanciou sorrindo, como uma mãe deixando uma criança na escola pela primeira vez, Edward se virou evitando olhar para a irmã, odiava essa super-proteção dos pais.

Ajeitou a mochila nas costas e já ia entrar na sala quando um garoto o chamou.

- Ei!

Ele se virou para ver quem era. O garoto loiro de olhos azuis o olhava de cima a baixo.

-Você é o irmão da Alice Cullen certo?

- Sim.

Edward abaixou os olhos. Questionou-se como o garoto sabia sobre ele e lembrou-se do quanto à irmã era popular na universidade, certamente seria isso.

- Edward Cullen?Prazer eu sou Mike Newton. – O garoto estendeu a mão para cumprimentá-lo

Ele hesitou, mas resolveu apertar a mão do rapaz.

- Edward Cullen. Prazer Mike. Você vai cursar astronomia? – Perguntou. Se sentiria seguro se conhecesse pelo menos alguém em sua turma.

- Sim, primeiro semestre, turma 01. Você também suponho.

- Sim. Então vamos entrar.

Respirou fundo, suas mãos tremiam ao encontrar a maçaneta da porta.

- Por que você está tão nervoso?

Ignorou a pergunta de Mike e entrou na sala, sentou-se no fundo rapidamente. Mike sentou a seu lado.

Sentiu o olhar de alguns colegas e estremeceu, odiava chamar atenção.

A primeira aula foi de história, Edward não se dava muito bem, preferia os números, mas tudo que se referia à astronomia era aceito de bom grado. A segunda foi de astrofísica a qual teria várias fases, a desse semestre era Termologia. Distraiu-se totalmente olhando as árvores balançando pela janela.

- Ei, Edward!

Mike chamou balançando as mãos na sua frente. Incomodou-se com o ato, ele odiava ser acordado subitamente de seus pensamentos.

- Sim? – Notou a sala vazia, coçou a nuca de novo.

- Vamos, vai ter uma palestra no auditório agora.

Levantou e pegou a mochila saindo rápido, se bateu em algumas pessoas, estava visivelmente nervoso odiava aglomerações.

Mike praticamente correu esbaforido para alcançá-lo.

- Por acaso você sabe onde é o auditório? – Perguntou Mike.

- Não, desculpe. – Respondeu diminuindo o ritmo.

- Tudo bem, relaxa. Eu sei onde é.

Edward olhou para o chão percebendo que o piso era preto e branco, começou a contá-los separando o preto do branco.

- Ei, Edward – Mike o chamou, mas ele estava tão absorto que nem ouviu.

Sentiu uma mão quente pegar na sua. Era Alice, a irmã virou o rosto de Edward em sua direção interrompendo a contagem.

- Como foram as aulas? – Perguntou Alice.

- Nada animadoras.

- Claro que não, você estava voando. Parecia que estava em outro planeta. – Afirmou Mike.

- Ele vive em outro planeta – Alice disse para Mike.

- Como assim? – Mike questionou sem tirar os olhos do decote de Alice. Edward reparou o olhar do novo colega e riu discretamente.

- Alice será que você poderia me tirar daqui?

Alice sabia exatamente do que o irmão falava. Edward desde pequeno contava tudo que via, somava números de telefone, placas de carro com apenas três anos de idade.

- Tudo bem, querido – disse sorrindo para Edward.

- Ah, propósito eu sou Alice, você é o cara da festa não é?

Edward se perguntou o que Mike fez naquela festa.

- Sim, eu sou o Mike.

- Olha, Mike, eu vou levar o Edward para tomar um ar, ele viveu muitas emoções por hoje. Pode ir para o auditório.

- Tudo bem, a gente se vê Edward. – Mike sorriu para Alice e acenou para Edward que acenou de volta.

- Você está bem? – Perguntou Alice preocupada.

Não, ele não estava bem, se distrair com facilidade e contar compulsivamente o deixava triste e desolado.

- Acho que sim. Eu preciso me concentrar nas aulas.

- Tudo bem, querido. É só o primeiro dia, você se acostuma,está se saindo muito bem até, se adaptou rapidamente ao ambiente.

- É eu sei. É só o primeiro dia.

Sorriu para a irmã. Ela era muito compreensiva com ele.

- Você sabe onde é a biblioteca? – Perguntou ele.

- Claro. Por quê?

- Me deixe lá e vá para a aula.

Alice obedeceu. Preocupou-se com o estado emocional de Edward, de vez em quando ele beirava a depressão tendo que tomar antidepressivos controlados. Recusou- se a fazer terapia negando a eficiência de tais métodos. O isolamento não o fazia bem, pelo contrário, era uma defesa dele mesmo para proteger-se da dor de se apegar a alguém e do objeto de apego deixá-lo.

Alice queria poder ajudá-lo a fazer amigos, a ser amado por todos, mas não dependia dela, o próprio Edward teria que aprender a lição e nada melhor que á vida para ensiná-lo.

- Edward posso te fazer uma pergunta?

- Se for sobre a Isabella não – Respondeu ríspido. Aquela garota o assustava, a forma abrupta com que se aproximou dele o deixava confuso, não estava acostumado a estabelecer contato físico com desconhecidos tão intensamente. O beijo o chocou, não sabia o que faria se a encontrasse novamente, certamente tentaria fugir. Bella representava uma ameaça.

- Ela te chocou não foi? – Alice perguntou.

- Sim, ela é louca. Como me beija daquela forma tão... animalesca?

- Você gostou de beijá-la? – Perguntou Alice cuidadosamente.

Edward se irritou com a pergunta.

- Você está invadindo minha privacidade com essa pergunta, é pessoal.

- Pelo amor de Deus, Edward!Eu sou sua irmã. Está obvio que você sente certa atração pela Bella.

- Atração?Com certeza tudo que eu não sinto por essa garota é atração.

Alice riu e alertou-o, Edward continuou sério.

- Olha, só vou avisando que ela irá falar com você.

- Ela é vulgar. Tentarei me manter longe dela.

- Edward! – Advertiu Alice. – Bella não é um mosquito que você repele, ela é um ser humano.

- Um ser humano assustador. – Edward murmurou.

- Ela é legal, só é meio impulsiva. Tente conhecê-la melhor. Bella é muito inteligente.

- Obrigada pelo conselho, Alice, mas creio que a precisão e fonte deles sejam no mínimo questionáveis. – Disse antes de abrir a porta da biblioteca.

- Atração – Murmurou para si mesmo – O poder de atração existente entre mim e Isabella é de probabilidade zero vírgula um por cento.

Completou sorrindo da própria piada interna.

A biblioteca era maior do que a de seu antigo colégio, as estantes eram gigantes e incontáveis, poderia se perder ali.

Negava-se a acreditar que sentia algo por Bella, mas sua reação corporal o desmentia. Ele havia adorado o beijo apesar de lutar para não admitir.

Ele adentrou a biblioteca meio desnorteado.

Observou as placas que ficavam no início de cada estante, as placas classificavam os livros, coçou a nuca distraído e sem querer se bateu com alguém.

- Desculpe – Disse ao ver a garota se abaixar para pegar algo.

Seus olhos não acreditaram no que viam, piscou várias vezes para ter certeza. Era ela, Isabella. Parecia uma brincadeira do destino que insistia em unir os dois.

- É a segunda vez que você me assusta. - Ela falou em tom de brincadeira, mas Edward não riu, apenas desviou os olhos do poderoso olhar de Bella.

Isabela envergonhada pelo que havia feito ontem à noite, ela queria beijá-lo porem o modo de agir dele merecia um pedido de desculpas. Não queria assustar o garoto que tanto lhe interessava. Apesar de incomodada com o jeito hostil e insensível como ele à tratava sentia a necessidade de se aproximar de Edward.

Edward coçou a nuca pela milésima vez na manhã olhando para todos os lados.

- Perdoe-me pelo meu atrevimento ontem à noite, espero que não interfira numa possível amizade nossa.

Edward prestou atenção principalmente nas últimas palavras, “possível amizade”

- Seu estado ontem foi deplorável. Eu perdoarei, mas acho que você deveria evitar o álcool devido a sua vulnerabilidade a ele.

Bella revirou os olhos, odiava ouvir sermões sobre seus hábitos noturnos por mais verdadeiros e sinceros que fossem. Não entendia como ele podia ser tão grosseiro com ela, afinal, era Isabella Swan.

- Está bem. Se você me perdoou eu já estou indo. – Disse suspirando. Edward tinha o poder de deixá-la para baixo.

Com a ajuda de um funcionário da biblioteca conseguiu o livro que queria, “Uma odisséia no espaço” de Arthur Clarke, adorava viajar no mundo dos livros.

E assim ele passou a tarde lendo, no começo da noite ficou observando o céu por trás das lentes do telescópio.

Tomou um banho frio e enrolou a toalha na cintura, bagunçando os cabelos molhados, notou que seu pijama não estava no lugar de sempre e foi até a lavanderia, certamente Alice havia jogado lá com sua mania de limpeza, deu um muxoxo de insatisfação ele era o oposto da irmã nesses quesitos não ligava muito para aparência e gostava de dormir com o mesmo pijama.

- Ah, oi Edward. – Era Bella que se encontrava no sofá da sala sentada. Edward se assustou ao ver a garota.

Já Bella por sua vez admirou atônita o corpo de Edward, gravando cada detalhe, mordeu o lábio inferior nervosa diante de toda aquela beleza. O abdômen bem delineado, o peito robusto e a palidez de sua pele alimentaram seus olhos e esquentaram seu corpo.

Edward coçou a nuca sem entender as intenções no olhar de Bella.

- Oi, o que você faz aqui? – Perguntou se sentindo invadido e incomodado.

- Vim mostrar umas fotos da viajem pra Alice. – Ela respondeu tentando afastar todos os pensamentos maliciosos e despudorados de sua mente.

- Eu tenho que ir. – Disse ao notar que estava apenas de toalha na frente de uma estranha que o atacou sem motivo.

Bella o observou correr para o quarto de um modo desajeitado, riu da cena. Fotografara cada parte do corpo de Edward em sua mente, apoiou a cabeça no sofá ao lembrar-se dele. Com certeza não apareceria mais na sala,pelo menos enquanto ela estivesse lá.

De repente lutar pelo calouro não lhe pereceu uma idéia tão absurda. A motivação lhe subiu a cabeça,era como o pai sempre terminava o que começava,era determinada e completamente impulsiva. Iria virar o jogo ao seu favor, só precisava de uma boa cartada.

Alice voltou do quarto e encarou o olhar pensativo de Bella

- O que você está tramando?

- Quê? – Perguntou Bella despertando de suas reflexões.

- Essa cara é de quem trama algo.

Bella riu, Alice tinha razão. Decidiu que o primeiro passo do seu plano de aproximação seria conhecê-lo melhor.

- Alice, podemos conversar sobre Edward?

Alice a encarou intrigada sentando-se ao seu lado.

- Sim, claro. Pode dizer.

- O que o Edward tem?Eu não o entendo, eu já pedi desculpas pelo beijo, tento puxar conversa, ser sutil, mas é inútil. Ele é irredutível.

- Ah, o ego feminino! – Alice disse suspirando.

Bella a olhou sem entender.

- Nem parece que você faz psicologia, nossa!

- Eu sei o que é ego Alice, mas o que tem haver com o meu ego?

- Bella você o deixa constrangido. Edward não é como os outros garotos que você fica e depois vira as costas.

- Eu sei, ele é bem diferente, digamos que ele é original. Mas o problema é que esse jeito dele me atrai Alice, eu sei que é estranho, o conheço há pouco tempo, mas é inevitável. – Desabafou Bella.

- Acontece, atração é assim, não escolhe hora. Você precisa ter paciência com ele. Se você gosta dele como diz vá com calma.

Calma, Bella desconhecia essa palavra, além do mais quando se tratava de garotos, sabia seduzi-los, como os manter preso a ela e adorava o modo como eles eram capazes de tudo para sair com ela. Mas com Edward era diferente.

Seu ego queria que Edward se rendesse a ela, mas causara o efeito contrário. Teria que rever seus conceitos se quisesse uma mínima aproximação dele.

Quando se trata de Isabella Swan deve-se considerar o zero vírgula um por cento um resultado favorável.

0 comentários :

Postar um comentário