ACLDP - Capitulo 6

BÔNUS – Fazendo a prova



Quando Carlisle saiu, eu olhei para Edward e recomeçamos a nossa pegação de onde paramos. Me sentei em seu colo imprensando o seu pau já ereto e o beijei com loucura.



Ele cravou suas unhas nas minhas nádegas me puxando para si. Quando o senti me beijar bem avidamente eu me afastei irônica. Mordi meus lábios ante sua perplexidade, me sentei na minha carteira. O olhei e disse:



- Eu tenho uma prova para fazer professor, comporte-se. – Eu disse sorrindo e vi seus olhos brilharem de luxúria.



Edward se levantou e fechou a porta da sala num baque, chaveando-a com força. Baixou a persiana da janela e sentou-se na sua carteira me fuzilando com o olhar. Eu fingi estar concentrada na minha prova e ele bufava de raiva batendo seu sapato no chão. Depois de menos de três minutos nessa agonia ele se levantou bruscamente em minha direção.



Ele parou atrás de mim, me fez levantar e jogou a cadeira para o lado fazendo um estrondo. Me pegou por trás com firmeza e senti minha tara encharcar a calcinha. Era esse tipo de pegada que me enlouquecia. Ele se imprensou contra o meu corpo, puxou meu cabelo para trás, e disse com a voz sexy e rouca no meu ouvido:



- Você vai fazer a prova... Mas fudendo comigo. – Sorri.



Ele tirou minhas calças rapidamente e quando vi estava sem blusa e meu sutiã foi parar no meio da sala, minha calcinha sumiu do mesmo jeito. Ele me penetrou rapidamente e eu tive que apoiar minhas mãos na mesa para não cair.



- Agora faz a prova Delícia. – Ele me disse e só não fiquei espumando de raiva porque estava bom demais com aquele pau dentro de mim.



- Se eu tirar 10, o que eu ganho? – Perguntei levando uma estocada forte.



- O que você quer ganhar?



- Eu quero fuder no seu volvo.



- Tire 10 e eu fodo com você aonde você quiser, por quantas vezes. – Quase gozei com aquilo.



Edward foi estocando devagar e eu olhei para a prova à minha frente. Fazer prova em pé, com o rabo inclinado pra trás e recebendo aquele pau seria inumanamente impossível não fosse a promessa que ele me fez.



Olhei pra primeira questão e Edward começou a massagear meus seios e eu gemi. Ele foi estocando e eu fechei os olhos.



- Algum problema Bella? – Ele perguntou com o seu cinismo natural.



- N-Não professor... – Eu suspirei e comecei a escrever a resposta.



Edward estocou fundo fazendo minha caneta voar longe.



- Ahhh... – Eu gemi.



- Quer que eu pegue sua caneta? – Ele perguntou irônico.



- Eu u-uso outra. – Eu respondi quando senti Edward acariciar meu clitóris.



Eu queria perguntar se eu podia gozar enquanto fazia a prova, mas eu tinha medo que ele parasse o que tava fazendo, e se ele parasse... Ai, ai, ai. Nunca gostei tanto de fazer prova.



Peguei outra caneta e fui para a segunda questão, minha letra estava tremida, primeiro porque eu estava sendo fodida, segundo porque quem se concentra em alguma coisa com Edward Cullen te comendo gostoso?



Resolvi escrever rápido para terminar logo e poder trepar direito. Edward me viu acelerando a escrita e acelerou as estocadas e a estimulação do meu grelinho. Parei de escrever e ele parou suas insvestidas.



- Se parar... Eu paro também. – Ele disse enfiando a língua no meu ouvido.



Minha buceta estava encharcada coitada. Respirei fundo, eu suava em bicas e continuei a escrever freneticamente, já indo para a terceira questão.



Quando eu estava escrevendo a metade Edward me estimulou fortemente e eu gozei em silêncio. Arrepiada e sentindo minha tara escorrer por entre minhas pernas. Furei minha prova com a caneta.



- Ahhh Delícia... Continua vai... – Ele disse no meu ouvido.



Eu sentia meu sexo arder de tanta pressão e meu mel escorria tão quente que chegava a me queimar de desejo.



Fui para a quarta questão e Edward resolveu estocar devagar e fundo, eu sentia seu pau batendo no colo do meu útero e queria urrar de prazer. Edward colocou as duas mãos na minha bunda e arregaçou bem minhas ancas e começou a mexer no meu cuzinho. Nunca gostei muito, mas naquele momento estava gostoso demais.



Quando olhei a quinta e última questão quase tive uma síncope com o enunciado: “Identifique as 20 posições sexuais que o seu professor mais gosta”. Dei um urro de prazer.



- Ahhhhhhhhh. – Falta só a última questão professor. Eu disse quase voando de felicidade.



- Hummmmm Gostosa. – Ele me deu um tapa na minha bunda e me fez deitar sobre a mesa.



- Tirou “10”. Agora deixa eu te foder como deve. – Com uma mão ele agarrou os meus cabelos e com a outra ele segurou a minha cintura.



Edward estocou rápido e forte, eu sentia meus seios balançando violentamente e a mesa não agüentaria aquelas pancadas sem ranger.



- Uuuuu Putinha... Geme baixinho vai, só pra mim. – Gemer baixinho era um problema quando se queria berrar.



- Fode gostoso vai professor, me enche de porra. – Eu pedi sem voz.



Gozei violentamente pela segunda vez e senti Edward gozar junto comigo.



- Agora vamos pro meu volvo delícia. Tu vai me chupar até engasgar. – Ele disse me dando um tapão na bunda. Era o tipo de marca que demorava a sair, mas no fundo me dava um puta orgulho.



Juntamos nossas roupas de qualquer jeito. Edward saiu da cidade com o volvo e eu estava quase quicando de ansiedade.



- Vai tirando a roupa. – Ele disse me olhando safado.



- Toda?



- Todinha, quero você peladinha pra mim. – Arfei e fiquei nua.



Os carros passavam, mas eu nem ligava se alguém me visse, aquela loucura era estimulante demais para querer parar.



Edward estacionou num beco deserto e colocou um protetor solar no vidro do carro. Os vidros fumê nos davam privacidade total.



Me preparei para atacar o pau do meu professor. Pensei que ele só abaixaria as calças, mas ele simplesmente, para o meu delírio, ficou completamente nu.



Meu professor colocou o banco para trás e sem que ele dissesse nada eu ataquei aquele pau grosso e duro. Chupei, mordisquei e engoli todinho quase me engasgando com o tamanho e a grossura.



- Ahhh. Isso Delícia, só você me chupa assim... – Eu quase estanquei.



As palavras morreram em sua boca. O que ele quis dizer, como se eu fosse a única a fazer algo com ele? A pirá-lo? Sorri me sentindo a Deusa do sexo e dei uma mordiscadinha na cabecinha deliciosa daquele pau.



Arranhei sua barriga lisa,levemente musculosa enquanto comia aquele pau com gosto. Depois, com gula apertei seu peitoral com minhas mãos. Queria senti-lo todinho perto de mim.



- Porra Bella! Puta que pariu! – Ele gemeu e eu senti seu gozo inundando minha boca em fortes jatos. Lacrimejei mas engoli.



- Ai que gozada! – Ele gemeu quando eu ainda limpava a última gotinha da sua porra.



Fomos para o banco de trás e Edward me pôs em seu colo. Nos beijamos por incontáveis minutos até que seu pau ficou aceso novamente.



- Você quer que eu te foda no volvo é? – Ele perguntou já rouco de desejo.



- Quero. – Respondi manhosa.



Sentei em cima do pau do Meu Professor. Edward começou a estocar com força e a mexer no meu grelinho.



- Não Professor, só me fode, eu vou sentir falta disso mais tarde. – Disse tentando respirar.



- E quem disse que você vai se livrar de mim? – Ele perguntou parando abruptamente de me estocar.



Olhei para ele. Eu sabia que um dia isso acabaria.



- É ótimo tudo isso... Mas eu quero mais. – Disse engasgando.



- Você terá mais. – Ele franziu o cenho. Eu sorri passiva.



- Eu quero mais que sexo Edward. E eu sei que isso você não pode me dar. – Disse.


Eu sabia que poderíamos terminar ali, no meio de uma foda que eu esperava, mas eu precisava expor aquilo. Tinha pensado no caminho, enquanto estávamos no volvo. Eu era piranha, safada e uma baita duma puta sem tirar nem pôr, mas até o presente momento eu era só dele, se pudesse eu permaneceria assim sem reclamar.



- Eu consigo viver sem você Bella. E você sem mim. - Olhei para baixo. – Eu consigo viver sem foder com você, você também. Nós podemos encontrar outras pessoas para fazer loucuras, assim como fazemos agora. – Assenti. – Mas eu não quero. Eu quero fazer loucuras com você minha aluninha pervertida. – Olhei para ele sem acreditar.



- É, eu não sou capaz, ainda, ou nunca serei... De fazer amor, mas... – Ele coçou a cabeça.



- Cala a boca professor! – Disse.



- Por isso que damos certo. – Ele sorriu malicioso já enchendo suas mãos com meus seios.



Ele tapou a sua boca com a minha e me fodeu como nunca. Sentei em cima do seu pau e rebolei alucinada. Gozei com tanta fúria que pensei que quebraria o pau de Edward.



- Ah isso Professor! – Gemia.



- Vai Delícia. – Ele incentivava.



Por fim nos acalmamos e ainda sem roupa ficamos abraçados.



- E como faremos? – Perguntei de súbito.



- Receio que terei que fingir ser seu namorado responsável e santinho. – Eu fiz careta.



- O que é pior, fingir ser namorado, ou fingir ser santo?



- Bella, você é a minha namorada. – Eu lhe sorri.



- Então namorado. Podemos ter mais uma rodada antes que eu vá para casa? – Pisquei.



- Pra fora do volvo. AGORA! – Ele mandou e eu gargalhei.



É, ser namorada de um professor pervertido, gostoso e criativo me renderia excelentes transas. Será que eu ia dar no capô?


Fim.

6 comentários :

Ameeeeiiiii....
queroooo maiiiisssss...
Não acaba a fic agoraaaaaaaa

30 de janeiro de 2011 01:38 comment-delete

ñ acaba esse fic por favos 2° temporada vai diz que sim

lua
20 de fevereiro de 2011 13:34 comment-delete

É segunda temporada , diz que simmmmmmmmm ² , please :( !

Luuh Petters
2 de outubro de 2011 21:50 comment-delete

2 temporada por favor plis

yo
5 de março de 2012 01:30 comment-delete

Eu quero continuação. Muito boa...

Anônimo
18 de maio de 2014 09:40 comment-delete

Fic MARA... Adoro um SENHOR gostoso! Faz uma continuação... Please!

Anônimo
17 de novembro de 2014 21:42 comment-delete

Postar um comentário