TCS - Capitulo 9

Capítulo 9.




Se Bella não chegasse logo eu entraria em um colapso nervoso. Aquelas três estavam acabando com todo o controle que levei anos para construir. Não agüentava mais os pensamentos delas tirando minha roupa, me alisando, montadas em cima de mim e tentando descobrir qual era o tamanho do meu... bem, deu pra entender, né?

A porta abriu e fiquei aliviado quando vi seu rosto. Levantei para ir na sua direção.

- Bella!

- Edward?

Ela ficou mais pálida do que já era e então alguém que eu não esperava ver, entrou atrás dela. O ódio veio junto.

- Bella... onde você estava?

- Fui co-co-co-co-comprar man-manteiga.

- Fomos!

Ele abriu a boca para falar comigo. Eu fechei os pulsos.

- Foram, Bella?

- Fo-fomos. O James está namorando a Lauren e...

- Estamos?

Lauren correu para cima de James.

- Não estamos, Lauren.

Eu olhei para Bella.

- Não estão, Bella.

- Mas eles dormiram juntos... ele dormiu aqui e quando eu saí pra comprar manteiga ele foi junto. E olha que engraçado, ainda bem que ele foi, porque eu esqueci minha carteira em casa e por sorte ele estava lá e me emprestou dinheiro, senão imagina eu ter que voltar em casa para pegar a carteira e depois ter que voltar ao mercado para pagar a manteiga, ninguém ia almoçar hoje.

Eu percebi Bella ficando vermelha, já que ela falava tão rápido que esquecera de respirar. Nervosa?

- Você esqueceu de comentar o fato de ter dado a sorte de eu estar por perto, por causa do frio. Senão você teria congelado lá fora com essa blusinha.

Eu perdi todo e qualquer controle que me restava, quando James apertou a bochecha dela. Mostrei os dentes e avancei nele.

Em questão de segundos James e Edward estavam atracados no chão. Eu não sabia se gritava, corria, apartava ou tirava as garotas dali.

- EDWARD! JAMES! PAREM, PELO AMOR DE DEUS!

Jess estava em pé em cima do sofá chorando. Ela era retardada? Angie estava paralisada no mesmo lugar de antes e Lauren era a única que sorria. Ou torcia, não sei direito. Eles voaram em cima da mesinha de centro, espatifando o vidro no chão.

- O que você quer com ela?

- O mesmo que você!

- Ela é minha!

- Não vi nada escrito.

Então Edward o mordeu no braço e James mordeu Edward no pescoço.

-PAREM!!!

Eles não me escutavam, era como seu eu nem estivesse ali. Edward levantou James pelo pescoço deslizando-o na parede e apertou sua clavícula fazendo um barulho de algo quebrando. Eu me senti aliviada por pelo menos o meu namorado não estar apanhando, mas mordi a língua quando James deu uma joelhada no rosto de Edward. Merda!

Vi Jess descer do sofá e correr até a cozinha. Ela voltou com um balde d’água e jogou em cima deles. Não adiantou, claro.

- Eles já são gelados, sua idiota!!!!

Ela me olhou e voltou a chorar correndo pro sofá. Eles se afastaram, James subiu as escadas e Edward subiu em cima da estante da sala. Eu ia morrer se eles não parassem.

- Edward, por favor.

Ele me lançou olhos negros que me arrepiaram.

- Fique fora disso.

Então eu senti meu coração parar quando os dois literalmente voaram até o meio da sala, se chocando no ar e caindo bruscamente no chão. Eles se mordiam como se fossem pedaços de carne.  Eu ouvia eles sussurarem algumas coisas.

- James, não ouse se aproximar novamente dela!

- Não só vou me aproximar, como vou tê-la para mim.

Edward rosnou alto e ergueu James deitado no ar, fazendo menção de que ia quebrar alguma coluna ali. Oh céus. Mas ao invés disso ele jogou James longe. O loiro saiu voando pelo vidro da minha pobre janela (aquilo deve ter doído) e em menos de 1 segundo ele passava pela porta (sem abrir) numa velocidade fora do comum, voando madeira pra tudo que é lado e se pendurando no lustre da sala, chutando a barriga do meu namorado, caiu na escada e quebrou alguns pobres degraus. Eu teria casa para morar no fim do dia?

- Eu vou chamar a polícia!

Eu quis tampar a boca de Angie quando ela disse isso, mas não tive tempo. Edward correu até ela, pegando-a pelo pescoço. Oh deus, ele podia ao menos esconder os dentes. Ficaria mais fácil de explicar depois.

- Ninguém nessa merda vai a lugar algum!

Ele a jogou no sofá quando James deu uma gravata nele, que jogou a mão pra trás e agarrou a cintura de James, trazendo-o de frente para ele.

- Isso, amor! Pega ele!

- Cala a boca, Lauren!

- O seu não tem chances contra o meu, Bella.

Eu fui até ela e agarrei seus cabelos. Pena que ela pegou os meus também. Nós caímos no chão, com ela em cima de mim enquanto tentávamos nos estapear. Mas Lauren foi tirada, não, foi puxada violentamente de cima de mim, pelos dois vampiros.

- Não toque nela!

- Ou morre!

Preciso admitir que gostei dessa parte. Mas então minha felicidade passageira acabou quando eles voltaram a se socar. Ok. Já era demais isso. Resolvi correr e apartar aquela merda. Péssima idéia, pensei, quando cheguei neles e levei um empurrão dos dois, voando em cima da televisão. Que era de plasma. Era.

Me dei conta de que havíamos jogado Bella longe, quando a ouvi gemer. Ela estava no chão, com a televisão embaixo do seu corpo. A situação piorou quando vi alguns cortes pelo corpo dela.

- ISABELLA!

Eu o soquei.

- Bella, idiota!

Eu sabia que poderia me controlar, mas James conseguiria? Foi tudo questão de segundos, quando o vi correr até ela. Voei nas suas costas jogando-o no chão.

- Fique longe dela, praga!

- Me solta!

Ele me deu uma cotovelada e eu caí pra trás. Corri até Bella, chegando junto com ele, mas nós dois congelamos quando ela pegou um caco de vidro do chão.

- PAREM! Se vocês se tocarem de novo eu corto meus pulsos!

Ela estava nos ameaçando com a própria vida? Tinha que ser a minha namorada! Eu e James nos olhamos.

- Certo amor. Largue isso então.
- James? (ela o perguntou)

- Estou de acordo com o Cullen.

Ela abaixou a mão devagar e então soltou o vidro no chão. Eu peguei seu braço, ajudando a se levantar e o infeliz veio fazer  a mesma coisa do outro lado.

- Eu cuido dela sozinho.

- Não.

Fechei o punho para quebrar sua cara, mas Bella apertou meu braço.

- Você prometeu!

Certo. Mulheres... A sentamos no sofá e a porra do cachorro pulou em cima dela para lambê-la.

- Ai, Jake!

Ele saiu ganindo dali quando eu e James rosnamos para ele. Olhei para uma das garotas que chorava na nossa frente e estalei os dedos.

- Você! Pegue um pano úmido.

Ela não se mexeu. James grudou nela e falou também.

- Precisamos pedir novamente?

Ela se afundou nas próprias lágrimas e correu para a cozinha. Eu já ia atrás quando ela voltou mais rápida que um projétil, me dando o pano. Passei nos cortes de Bella, limpando o sangue em volta. Eram apenas superficiais, mas deviam estar doendo, apesar dela tentar passar uma imagem de mulher-macho.

- É bom você não estar respirando.

- Se eu quisesse atacá-la já tinha feito.

- Nunca se sabe quando um novato pode perder o controle.

- Novato? Eu? Devo ser mais velho que você.

- Certo.

- Nasceu em que ano?

- 1670.
Bella começou a rir, me deixando puto. Ele estava de sacanagem comigo, né?

- E você, criança?

- 1670.

James fechou a cara e percorreu as garotas com os olhos. Então ele saiu de perto de nós e eu o vi falando alguma coisa com cada uma das meninas. Elas vieram se sentar ao lado de Bella. James se ajoelhou na frente delas e começou um discurso. Que merda era essa?

- Ei meninas, acho que a gente deve uma explicação a vocês. Eu e Edward somos aquilo que todos chamam de vampiros.

- JAMES!

Ele era imbecil?

- Edward, deixa ele falar. Depois eu te explico.

Bella me pediu com tanta convicção, que resolvi ficar na minha.

- Mas nós somos vampiros bons, não vamos fazer nada com vocês. Além de quebrar sua casa.

“Vampiros existem?”

- Sim, nós existimos. Não é tudo ficção.

Ignorei o olhar que James me deu surpreso.

“Eu vou virar comida!”

- Não vai não. Até porque você já dormiu com James e está viva. Veja por aí.

Ele me olhou de novo.

- Que porra é essa?

- Depois eu te explico, James...

Bella falou, olhando para ele.

- Então... nós vamos todos conviver em paz e tudo vai continuar como antes. Eu gostaria muito que nenhuma de vocês contasse isso para ninguém. É muito importante para mim. Vocês fariam isso? Por mim?

Ele abriu um sorriso e elas balançaram a cabeça positivamente. Aquilo era hipnose? Não parecia, elas estavam bem lúcidas. A loira passou os braços em volta do pescoço dele.

- Eu faço qualquer coisa por você!

Ele me olhou vitorioso. Verme! Os ânimos já estavam mais calmos, ou quase, quando quatro vampiros chegaram correndo.

- VOU TE METER A PORRADA EDWARD! (Jazz)

- JAMES, VOCÊ É NOSSO! (Emmet)

- OLHA A CASA, MEU DEUS! (Alice)

- JAMES, EU SOU SUA! (Rose)

Era a cena mais patética que eu vi na vida. Os quatro em posição de ataque, com os dentes à mostra, cheios de raiva. Então eles se deram conta do que estavam vendo.

- Cadê a briga? Eu me atrasei? (Alice)

- Ah não! Eu quero dar porrada em alguém... (Emmet)

- Graças a deus... poupei uma dor de cabeça! (Jazz)

- James, eu sou sua! (Rose)

- Caralho Rose, cala a boca! (Emmet)

As meninas arregalaram os olhos para James.

- Bem... essa é a família vampira do imbecil do Cullen. Mas eles são tão imbecis quanto inofensivos. E eu sempre protegerei vocês.

Ele ainda foi capaz de piscar para elas. Verme!

Claro, como se não pudesse ficar pior, o resto da família chegou. Bem legal. Eu até esqueci da dor, mais preocupada com eles voltarem a se atracar ali. Achei melhor levantar.

- Onde você pensa que vai Bella?

Senti a mão de Edward me empurrando de volta para o sofá. Que saco.

- Bella, você está bem?

- Sim, Alice, estou.

- Fale agora que não tem um espelho por perto... você está um trapo! Não que você já não fosse...

- Ah, obrigada pela preocupação Rosalie.

- Eu pensei a mesma coisa!

Então Lauren e Rosalie se olharam e sorriram. Eu estava presenciando um encontro de almas gêmeas ali?

- Como você atura morar com ela?

- Eu apenas aturo. Ajuda a diminuir no aluguel.

- Nossa, imagino seu sofrimento...

- Isso aí é uma Prada?

- É! Amo bolsas pequenas.

- Eu tenho uma Dior parecida, só que preta.

- Jura? Não é o modelo da primavera passada, é?

- Esse mesmo!

- Garota, você tem que me mostrar isso!

- Vem cá.

Lauren saiu puxando Rosalie pela mão e subiu para o quarto, pulando com dificuldade os degraus quebrados.

- Terei pesadelos. (Jasper falava de cabeça baixa)

- Terei sonhos eróticos!

- Ew, Emmet!

- Que foi? Já penso nas duas deitadas na minha cama. Nuas, claro. E eu por cima e elas suando. Bem, só uma suando. E eu pegando as pernas e...

- EMMET!

- Ok, parei.

Alice chegou perto de mim e deu um tapa em Edward.

- Que porra é essa Alice?

- Para você aprender a não brigar por aí!

- Isso não teria acontecido se você tivesse feito o favor de me mostrar. Eu sabia que você estava me escondendo algo...

- Eu não estava escondendo. Só não tinha motivos para avisá-lo, porque aparentemente, ele não lanchou  Bella.

- Ei, o lanche está aqui ouvindo, ok?

Eles me olharam indiferentes e voltaram a discutir.

- Eu sabia que se te avisasse, você viria correndo para cá e acabaria brigando. Mas pelo visto isso aconteceria de todas as formas. Porque você é brigão!

- Deve ser porque ele está dando em cima da MINHA namorada!

- Não está dando em cima de mim coisa nenhuma!

- Estou sim Bella...

Ótimo! Ele podia tentar ajudar pelo menos. Edward o olhou feio.

- Tudo bem, estou me metendo aqui... vamos nos acalmar, ok?

Jasper apareceu falando algo que eu não entendi o que ele queria dizer. Mas ele devia ser bom com as palavras, porque Edward relaxou um pouco. E James parou de me atazanar.

- Você é vampiro também?

Jessica tinha ido até Emmet e o tocava como se fosse uma estátua.

- Sim.

- Como é forte!

- Gostou? Tem que me ver sem camisa!

Emmet tirou a camisa e Jess desmaiou, mas ele a segurou antes de cair.

- Calma amor, não desmaia agora.

Ela teve uma crise de riso. Eu entendia o motivo. Emmet tinha um abdômem tipo tanquinho... talhado.

- Me possua a hora que quiser.

Emmet nos olhou sorridente. Como Rosalie suportava isso?

- Uau! Já tava triste por não ter brigado com ninguém. Mas ganhei um presentinho.

- Menos Emmet.

Alice puxou Jess dos braços dele.

- Ela é amiga da Bella. E você James, está bem?

Eu vi Alice sorrindo para James. Então a ficha caiu. Ow. Ew. Óbvio que ela não contaria a Edward. Ela tinha uma quedinha pelo James. Como todas as outras.

- ALICE!

- Que?

- Depois quero conversar com você. A sós.

- Ok, Bella.

- Estou indo. A casa encheu demais para meu gosto.

- Já vai tarde, verme!

James levantou-se e sorriu para mim.

- Qualquer coisa, sabe meu endereço.

Edward me olhou pasmo. Merda.

- O que ele quer dizer com “sabe meu endereço?”

- Ah... bem, eu fui numa festa ontem com as meninas. Na casa dele...

- Levou chifre, Edward!

Eu tive vontade de matar Emmet. Principalmente quando Edward me mandou um olhar de fazer as pernas tremerem.

- E...?
- E nada! Nem fiquei muito tempo lá.

- Bem, estou indo. Até amanhã, Bella.

- Isabella para você, verme!

- Eu prefiro chamá-la de Bella.

- James, por favor, você pode ir agora?

- Só porque você pediu.

Ele sorriu e foi saindo.

- Dá para me explicar agora?

- Teve uma festa ontem na cada deles. Eu fui, não houve nada.

- Eu te peço para não se meter em confusão e você só resolve ir na casa de um vampiro...

- Que é muito bonita, por sinal! Nem parece que vampiros moram ali!

- Certo.  Muito interessante seu comentário.

- Edward, porque você não me deixa subir com Bella para ajudá-la a tomar um banho?

Alice me estendeu a mão, sorrindo. Uma vampira querendo me ajudar a tomar banho? Super comum... acontece nas melhores famílias. Eu fui com ela, que deixou o chuveiro esquentar enquanto separava uma roupa limpa para mim.

- Obrigada.

- Sem problemas. Só estou ajudando minha cunhada.

- Não tinha pensado nessa palavra ainda. (eu sorri)

- Então, o que você queria falar comigo?

- Ah... bem, eu percebi que você estava protegendo James.

- Eu? Claro que não Bella!

Ela estava mentindo descaradamente.

- Ah, ok então. Ia te dar o recado dele...
- Recado? Que recado?

Eu ri. Ela tinha caído. Até que enfim eu consegui pegar alguém.

- Alice...

- Certo. Eu acho ele bonito. Só isso.

- É o poder dele.

Ela me olhou incrédula.

- Poder? Qual? E como você sabe disso?

Ela me enfiou debaixo do chuveiro. Era bem forte para alguém tão pequena.

- Ele me contou. O poder dele é de seduzir quem ele quer.

- Merda! Como eu caí nisso? E Rose? Ah, Rose vai morrer quando souber!

Eu fiquei feliz em imaginar a cena de Rose morrendo. E aí acordei do sonho.

- E você? Ah, certo, nem precisa responder... ele não consegue, né?

- Não...

- Igual Edward. Interessante.

- Pelo visto só eu e Jazz temos acesso à sua mente.

- Jazz?

- Jasper.

- Sim. Mas, como assim?

- Jasper controla as emoções à sua volta.

- Entendi agora. E Emmet? E Rosalie?

- O poder de Rose é irritar... e Emmet é nos fazer rir.

- Mais claro impossível.

Nós rimos e eu senti uma vontade enorme de abraçá-la. Era a única que conversava comigo sem me pressionar ou me pedir explicações. Mas eu lembrei que estava pelada e não ia ser legal.

- Jazz, Edward, o que vocês acham que está acontecendo lá em cima?

“Surubaaa”

Eu olhei incrédulo para meu irmão. Ele nunca parava de pensar em sexo. Nunca.

- Provavelmente nada, Em.

- Duvido! Duas provando roupas e duas tomando banho. Me chicoteia!

“Quem dera eu amassando as quatro...”

- Emmet, eu fico tão confuso com você por perto... (Jazz reclamava)

Eu entendia Jasper. Já era confuso ouvir os pensamentos sórdidos de Emmet. Imagina sentir suas emoções? Puta que pariu! Me jogava em direção ao sol escaldante!

- Ok... vou subir... boa sorte Jazz.

Alice já descia as escadas quando Jasper a segurou forte.

- Obrigado por voltar logo!

- Peraí Edward! Vou subir também.

- Emmet, eu vou ver a minha namorada.

- E eu vou ver a minha ué. Mas posso ver a sua também se isso te faz feliz.

Achei melhor não responder.

Entrei no quarto de Bella. Ela estava de costas para mim, enrolada na toalha, olhando o armário e provavelmente pensando no que vestir. Cheguei perto dela devagar e passei as mãos em sua cintura.

- Cheirosa!

Ela jogou a cabeça para trás, deixando o pescoço suculento à mostra.

- Oi...

- Sua sorte é ser gostosa. Caso contrário eu estará brigando agora com você.

- Que bom que meu sangue é tão gostoso então. Apesar de você nunca ter provado.

- Mas eu não falei do seu sangue. Falei de você. Do seu corpo gostoso.

As bochechas pelas quais eu tinha brigado com James coraram rápido.

- Ah.

- O que eu faço com você hein? Só me arranja problemas...

- Faça o que quiser comigo!

Eu a virei de frente e sorri maldoso.

- O que eu quiser?

- Nem tudo.

- Que pena... já estava tendo altas idéias aqui.

Ela se esticou na ponta dos pés e me beijou. Tinha sentido falta daquela boca macia e quente. Até quando eu agüentaria essa tortura?

- EDWARD!

- Emmet não me deixa em paz!

A soltei e fui até a porta do quarto. Emmet vinha pelo corredor.

- O que foi?

- Estamos indo embora. Você vai ou fica?

- Vou ficar, podem ir sem mim. Eu estou de carro.

Ele chegou na porta e meteu o carão lá dentro.

- Tchau Bella!

- Tchau Emmet.

Emmet virou de lado para falar comigo, quando eu vi e ele também viu, um vulto. Era a toalha de Bella caindo sem querer.

“Bella pelada!”

- Emmet, você não é louco em olhar para ela! Já basta o que houve!

- Você é estraga-prazeres Edward!

Dei-lhe um tapa e levei-o para longe dali. Vão embora antes que eu deixe de ser paciente... Voltei para o quarto e encontrei Bella já vestida.

- Que pena... Emmet sempre me atrapalha.

Ela mordeu os lábios e veio me abraçar.

- Eu senti muita saudade!

- É mesmo? Achei que estivesse se consolando com outro vampiro...

- Deixa de bobeira Edward!

- Bella, ele dá em cima de você na minha frente. E eu posso muito bem ouvir as coisas que ele pensa. Já basta ter que agüentar Alice e Rosalie babando por ele.

- Elas estão assim por causa do poder dele.

Do poder dele. Certo, qual parte da história eu perdi? James também tinha um poder?

- Explique.

- Ele pode seduzir as mulheres só com o olhar, um troço desses...

Então a ficha caiu. Por isso nem Alice que sempre foi a mais contida, perdia a linha de vez em quando. Eu lembrei de Bella.

- Eu tenho que matá-lo para não precisar vê-la se jogando em cima dele, certo?

- Errado... não funciona comigo. Assim como você não pode me ler.

Eu nunca fiquei tão feliz pela minha namorada ser tão diferente das outras pessoas.

- Obrigado por ser estranha.

Beijei seu pescoço e levei um tapa carinhoso.

- Ei! Não sou estranha! Tirando o fato de eu namorar um vampiro e ter outro vampiro afim de mim. E vamos parar de falar sobre minha vida um pouco e vamos focar em você. Vai me contar como foi a... caça?

- Foi normal.

- Quanta informação... uau!

Ela era hilária! O que ela queria que eu dissesse? Estava esperando por uma narração?

- O que exatamente você quer saber?

- Sei lá. Como foi, se você se alimentou bem, se elas eram bonitas...

- Hum. Me alimentei bem o suficiente para não precisar de óculos por uns 3 dias. E sim, eram todas bonitas.

- Quantas? E bonitas tipo bonitinhas, ou bonitas tipo maravilhosas?

- Você é impressionante, sabia? Quer todos os detalhes também?

- Edward, você não está ajudando...

- Certo. Apenas uma era maravilhosa. E foram três no total.

Ela sentou na cama e ficou olhando para o chão. Daria tudo para ler sua mente agora.

- Hum.

- Dois.

Ela me olhou enfezada e eu ri. Era legal irritá-la.

- Você só mordeu e as matou? Não fez mais nada além disso?

- Não Bella. E eu não matei todas. A brasileira eu deixei viva.

Ela me olhou surpresa.

- Deixou? Por quê?

- Não quis matá-la. Ela era bem legal.

- Sei...

Notava uma certa tristeza na voz dela. Era verdade o que eu estava contando. Eu realmente não fiz nada mais do que isso. E ela provavelmente não acreditava. Me sentei ao seu lado e vi o livro de vampiros na mesinha de cabeceira.

- Que pena você estar triste... acho melhor deixar para te contar a surpresa depois.

- Surpresa?

A curiosidade surgiu em seu rosto e eu me senti melhor quando a vi sorrindo.

- É. Uma surpresa que preparei para você.

- Qual?

- Bem, eu vou te levar na estréia de... (olhei rápido para a capa do livro) Twilight.

- Ah. Mas isso não é surpresa Edward... eu já ia de qualquer jeito. Com ou sem você.

Merda. Pensei rápido.

- Bella, não é uma estréia qualquer. É aquela em que o elenco vai também.

Ela arregalou os olhos.

- Você está falando da Premiere?

Era isso?

- Estou.

- Em Los Angeles?

Oh, merda! Essa porra era em Los Angeles? Se fudeu Edward.

- Isso mesmo, em Los Angeles!

Ela agarrou meu pescoço e me encheu de beijos. Agora eu teria que ir até o inferno se fosse preciso, mas daria um jeito de levar Bella em Los Angeles para a porra da premiere desse filme.

- Como você conseguiu isso?

Eu nem tinha conseguido nada ainda.

- Contatos.

- Ótimos contatos pelo visto. Isso é fantástico! Eu vou surtar lá!

- Claro amor. Eu já estou surtando!

Tentei disfarçar meu nervosismo com um sorriso que ela não resistia.

- Bella, vamos ver se você está por dentro de tudo... qual o dia da premiere?

- 17 de novembro!

O que? Semana que vem? Eu precisava urgente ir para casa e descobrir um meio de irmos nesse troço.

- Acertou minha linda!

Beijei sua testa e levantei.

- Agora tenho que ir...

- Onde?

- Para casa. Preciso resolver umas coisas...

- Mas você acabou de chegar.

- Eu volto de noite, ok? Agora preciso ir.

Liguei para Alice enquanto dirigia. Se tinha alguém que podia descobrir qualquer coisa, esse alguém era Alice.

- Oi Edward.

- Alice, preciso de um favor.

- Fale...

- Preciso que me consiga todas as informações sobre um filme chamado Twilight. Pode fazer isso?

- Posso dar meu jeito.

- Então dê. Já estou indo para casa.

Fiquei sentada ali na cama por alguns segundos, tentando digerir tudo o que tinha acontecido hoje. A briga de Edward e James tinha sido demais para minha cabeça, que parecia querer explodir agora. Levantei e fui até a cozinha pegar uma água para tomar analgésico. Angie e Jess estavam na sala arrumando a bagunça. Eu tinha esquecido que estava tudo quebrado em casa.

- Ei meninas... me desculpem por isso.

- Tudo bem Bella. (Angie sorria) A gente dá um jeito. É só arrumar aos poucos. Acho que o mais trabalhoso vai ser a porta, né?

Eu olhei os pedaços da porta espalhados no chão.

- Eu só quero saber como vamos dormir numa casa sem porta!

- E-eu vou dar um jeito Jess. Ainda é cedo, deve ter uma marcenaria por perto aberta.

Jess se abaixou pegando um pedaço da extinta televisão. Era tão linda...

- Você nos trouxe muita alegria, viu? Vá em paz.

Eu peguei a vassoura para varrer os cacos de vidro da mesinha. Mas eu acho que estava pior que a pobre mesa.

- Bella, é melhor você não fazer isso. Na verdade, você devia passar um remédio nesses cortes. Deixa que a gente cuida de tudo aqui.

- Ok então. Eu desci mesmo para tomar remédio. E bem... vocês estão legais com tudo isso? Com a questão dos... vampiros?

As duas me olharam naturalmente, como se eu perguntasse se elas estavam bem com os coelhos.

- Claro!

- Super!

- Nenhuma... dúvida?

- Eu tenho! (Jess me olhou) Vampiros são bons de cama?

Era sério isso? Eu quis matar Jessica.

- Pergunte a Lauren... ela pode te responder melhor.

Deixei Jess falando sozinha e fui tomar meu remédio. Estava na cozinha quando escutei uma buzina. Cheguei na sala e vi minhas duas amigas babando no espaço onde existia uma porta. Eu vi Emmet de calça jeans e sem camisa, descendo de uma pick-up com uma porta gigante amarrada na caçamba. Hilário.

- Emmet, o que é isso?

- Voltei Bella. Vim trazer um presente nosso...

- Uma porta?

- É né, já que Edward contribuiu para a extinção da sua.

- Oh. Ok. Você mesmo vai colocar?

- Claro! Num segundo!

Eu não duvidava disso. Ele levantou a porta com tanta facilidade que eu nem me preocupei em ajudar. Resolvi voltar para o quarto, já que Emmet estava muito bem de companhia, com Jess e Angie decorando cada músculo seu. Me joguei na cama enquanto sentia minha cabeça rodar e deixei de lutar contra a força que meus olhos faziam para se fecharem.

<<< Capitulo 8                                                                    Capitulo 10 >>>

===

Nota da Caah: Próximo capitulo contem Lemonada (66)

2 comentários :

AMEIIIIIII.....
POSTA LOGO O PRÓXIMOOOOO, POR FAVORRR...
BJKS

11 de dezembro de 2010 01:11 comment-delete

ADOREI *-*

12 de dezembro de 2010 14:20 comment-delete

Postar um comentário