TCS - Capitulo 15

Capítulo 15.




Nem lembro como foi direito, só sei que tinha acabado de gozar e já estava desmaiando nos braços de Edward. Quando acordei ele estava em pé na janela, olhando a rua. Andei até ele e o abracei por trás.

- Bom dia flor do dia!
- Bella, isso é gay quando se fala para um homem...
Ele ria o sorriso mais perfeito do mundo! E só meu! Me beijou devagar, me levantando no colo.
- Preciso resolver umas coisas em casa. Mais tarde eu volto, ok?
- Ok... não demore.
- Precisamos agora inaugurar minha cama... você sabe, né?
Céus! Ele era insaciável? Eu ainda estava toda ardida de ontem...
- Certo!
Fiquei vendo-o saltar e entrar no carro. Estava ficando neurótica, pois já estava com saudades. Peguei meu notebook caindo aos pedaços (coitado) e voltei para a cama. Era ótimo que hoje fosse feriado! Ficar o dia todo em casa aturando minhas amigas e Jake-moicano, era o sonho da minha vida! Entrei na internet e fui direto para a comunidade do meu livro-filme preferido. Ah, vocês-sabem-qual. Tinha um tópico para quem morava em Forks e quisesse se encontrar na estréia. Até que tinham algumas pessoas ali... resolve entrar nessa muvuca e acabei marcando também com elas. E daí que eu já tinha visto o filme? Eu veria pelo menos, mais umas 5 vezes.
Mais tarde quando Edward voltou, expliquei a situação para ele.

- Amanhã estréia Twilight e vou me encontrar com outras garotas para assistir.
- Amigas da faculdade?
- Não...
- Então quem?
- Sei lá
- Como, sei lá?
- Não conheço ué... do Orkut.
- Bella, no Orkut só tem maníaco sexual!
E daí? Eu ia no cinema, não no motel...
- Mulheres, Edward... mulheres!
- Bella, o Emmet uma vez entrou numa sala de bate-papo e fingiu ser uma loira gostosa de 1,75m cintura de 60 e 105 de quadril. O cara foi até o local que eles combinaram e Emmet apareceu rindo da cara dele.
Ow. Emmet era doente, isso sim.
- E aí, como terminou isso?
- Ah... terminou normal... ele matou e sugou o cara.
- Ah sim. Normal. Certo, mas nenhuma delas é o Emmet, ok? E então por que você não vem junto?
- Deixa eu pensar... garotas histéricas me chamando de Bernard? Não, obrigado.
- Então eu vou sozinha!
- Certo... confio em você...
Duvido. Mas tudo bem... eu sabia mesmo que ele ficaria dentro do carro na porta do cinema. Mas fingi ser ingênua e deixei para lá.



Dormi aquela noite na casa da Bella, só dormi, ok? Ela estava ardida. Como eu não podia ler sua mente para ter certeza, achei melhor acreditar. Pensei até em colocar um dedinho lá para esfriar a ardência, mas achei melhor deixá-la descansar. Acordei de péssimo humor. Não estava nada feliz em saber que ela ia se encontrar com garotas pervertidas no cinema. Isso se fossem garotas mesmo... podiam ser amigos de Emmet. Não queria ir, não agüentaria ser chamado de Bernad Fulten novamente. Mas achei melhor tomar minhas providências. Eu sabia perfeitamente quem adoraria acompanhá-la.

 Estava terminando de me arrumar para ir ao cinema, quando tocaram a campainha. Desci para atender.
- E-Emmet?
- Oi Bella!
- O que faz aqui? Edward não está.
- Eu sei, ele que me mandou aqui.
- Hein?
- Vamos ao cinema, né?
Era brincadeira, não era?
- Eu vou.
- Eu também.
- Co-comigo?
- Sim, olha que legal! Edward falou que vai ter um monte de mulher!
- Rosalie não se incomoda com isso?
- Ah não... eu disse que iria escalar montanhas. Ela odeia.
Inferno! Edward me mandou um segurança? E eu seria esfolada viva por Rosalie quando ela soubesse disso.
- Emmet, eu posso ir sozi...
- Eu não vou a lugar algum Bella...
Certo. Ele não ia mesmo pelo visto. Bati a porta e saí de casa.
- Vamos no meu carro ou no seu?
- Sabe cunhadinha, não que eu tenha algo contra o seu... mas eu prefiro não ser visto pelas mulheres, saindo dele, sabe?
- Sei. E você não tem mesmo nada contra ele?
Ele riu e bagunçou meu cabelo. Que legal. Entramos na pick-up preta dele e fomos ao bendito cinema. Emmet colocou um hip hop no último volume e começou a se mexer no banco.

(N/A: http://www.youtube.com/watch?v=ohol5pbRyvw )

Girl I can notice but to, notice you, noticing me, from across the room
/Garota, não posso deixar de reparar em você
Reparando em mim, do outro lado do salão
I can see it and can't stop myself from
looking and noticing you, noticing me,
/Não consigo parar de olhar e reparar em você
Reparando em mim
Watch out I've seen her type before
/Cuidado, conheço aquele tipo aquela garota é perigosa
That girl is so DANGEROUS,
That girl is so DANGEROUS,
That girl is a bad girl, I've seen her type before
She's so DANGEROUS,
That girl is so DANGEROUS,
That girl is a bad girl, yeah
/
Aquela garota é perigosa, aquela garota é malvada
Conheço aquele tipo, ela é perigosa, aquela garota é
perigosa, Aquela garota é malvada, yeah

Ohhh yeah thats her the big dog tryin to get her little kitty to purr.
/É ela mesmo, o cachorrão quer fazer a gatinha miar

Ex-man lookin at me like i'm Lucifer, Cause he know I will deal with his case yes SIR!
/Me olham como se eu fosse Lúcifer, porque sabem que Eu resolvo a parada
if I was the last man I earth I would only take that girl end of search.
/Se eu fosse o último cara vivo, só ficaria com aquela gata
She give a new definition to the word Curve, got chicks in the strip club envy her.
/Ela mudou o sentido da palavra "curvas", as strippers têm inveja dela .
Body's like weapon, a mass irruptions, see the glad on that phat obstruction, tongue game give a new type of seduction. (Kardinal yelling Im trying to give that girl something... CHA!)
/O corpo dela é uma erupção, fico feliz com aquela obstrução
Jogo de línguas para seduzir, vou tentar pegar aquela garota

Que porra era aquela? Emmet se achava... um cachorrão? OMG.
- Gosta de Akon Bella?
- Eu fazia esforço para ouvir o que ele falava, devido ao volume do som.
- Claro, sempre que posso eu como!
Ele me olhou assustado.
- Edward sabe disso?
- De que?
- Que você come o Akon? Digo... não deveria ser o contrário então? Não que você deva trair meu irmão. Mas se estiver traindo, pode pedir autógrafo para mim?
-Emmet, do que você está falando? Eu não como o Akon!
- Você acabou de dizer...
- Eu disse que como BACON!
- Ah.
Eu ia para o cinema com Emmet? Eu ia? Ok. Estacionamos e fui ao ponto de encontro enquanto Emmet dava em cima da mulher da bilheteria. Tinha um grupo grande de garotas reunidas. Eram elas. Yey! Bem... foi algo... engraçado, digamos. Uma veio sorrindo na minha direção.
[N/A: Essas meninas abaixo são leitoras-calo da Kel (Escrava K)]

- Oi! Veio ao encontro?
- Sim... você é?
- Thami, prazer!

A menina ficava tremendo o tempo todo, tipo, ligada no 220v, sabe? E tinha um cabeção. Mas abafa. Eu quis rir quando vi um garoto, o único do grupo, por sinal, vestido com uma camisa branca e um arroba bem grande no meio. Que merda era aquela?

Bem, nem era tão estranho se você olhasse para a namorada dele, que vestia uma blusa igual, só que um coração desenhado. Vai entender... Fiquei assustada quando uma outra chegou para se apresentar a mim...

- Oi, sou a Sayu.
- Er, oi... o que é... isso?

Olhei horrorizada para uma pobre menina que Sayu trazia acorrentada pelo pescoço. A menina tinha um teclado amarrado no pulso.

- Ah, é uma escrava. Escrava K.

Ok. Quem seria eu para contrariar, né? Saí de perto...
A loucura parecia não ter fim, quando vi uma garota sentada no meio do grupo, abraçando uma porra de um travesseiro. Ela iria dormir no cinema? Ow. Ow. Eca. Ela botou na boca. Ela me olhou de olhos arregalados e cuspiu o travesseiro, sorrindo para mim. Fiquei feliz de ter vindo com o Emmet. Por falar nele... bem, quando ele apareceu eu quase morri atropelada por elas. Uma delas saiu gritando.

- Abram espaço para uma Kztcheeee! (Paty)
- Ei, eu tenho preferência porque meu mestrado é baseado em homens gostosos! (Taty)
- Mentira, baranga! É sobre vampiros!
- Todas podem ficar com ele... eu já fui ontem mesmo numa festa na praia e peguei dois carinhas... to nem aí! (Maya)
- Pega! Escrava K fugiu! (Michele com um chicote na mão)
- Dany, puxa ela pelos cabelos!
- Porra Priscilla, falei para tomar conta dela!
Emmet estava feliz, rindo à toa...
- Calma moças, tem Emmet para todas! Opa, aí faz cócegas...
- Essa é a minha intenção, bobinho... (Vanessa)

Tentei sair da muvuca e me juntei àquelas que pareciam (só pareciam) ser as mais normais. 

Tinha uma com o livro na mão, com cara fechada.

- Er... oi.
- Oi.
- Trouxe o livro, é?
- É... mas nem gostei muito... só vou ver porque sou amiga da Escrava K... só ator feio, livro ruim, não entendo porra nenhuma... (Liv)
- Ah...

A garota deu um cutucão na outra ao seu lado.

- Vai mesmo me fazer entrar no camarim né?
- É Liv... você já perguntou essa porra mil vezes... você vai conhecer o pessoal do Teatro Mágico... na boa... (Meny)

Olhei para o lado, uma garota desenhando.

- O que é?
- Estou desenhando a cena... (Rach)
- Qual?
- O loiro gostoso sendo agarrado pela Nat, pela Jany, pela Jessica... ui. A Karina tinha mesmo que passar a mão ali?
- Quem é ela? A do nariz de palhaço (não me perguntem o motivo)?
- Não, essa é a Juzinha.
- Ah.

Vinha outra louca com um calendário na mão. Eu apenas olhei.

- Nem vem me perguntar onde eu comprei! Todo mundo me pergunta isso e não adianta porra nenhuma! Deixa meu calendário em paz... (Lê)
- Vou pegar o Bernard! Vou pegar! (Manu ex- Isa)
- Impressão minha, ou só tem louca aqui?
- Eu nem sou louca... sou quietinha. (mentira) (Fê)

Fui ficar perto de duas que pareciam mais calada.

- Hey, sou Cris!
- Daniela, prazer!
- Oi... Bella!
- Veio com o gostosão ali é?

Ok. Saí de perto.

- Emmet?

Puxei-o pelo braço, arrancado-o das garras femininas.

- Fica comigo, por favor.
- Que foi Bella?
- Estou com medo.
- De quem?
- Como de quem? Dessas loucas!
- Ah... relaxa cunhadinha... o lance delas é apenas escravizar aquela ali...

Ele apontava a pobre escrava... que chorava, sentada no chão, digitando. Fiquei com pena dela.

Não desgrudei de Emmet enquanto a sala não abriu. O bando correu para os lugares quase me derrubando no chão. Bando de loucas! 

- Bella, não precisa grudar em mim, elas não mordem... mas bem que poderiam, né?
- Eca Emmet.
Nos sentamos, e a escravinha sentou do outro lado dele. Ela deu um sorriso tímido e continuou a escrever. O que ela tanto escrevia?
- Ei graçinha... gostei da corrente... sadomasô legal hein!
Um chicote soou no ar, e nas costas da escrava, e ela voltou a escrever. Cruzes. As luzes apagaram e a gritaria começou. E eu achei que tinha gritaria na premiere. Isso aqui era mil vezes pior! As primeiras cenas apareciam na tela e as loucas não paravam de gritar.

- Ahhh, o Bernard da Escrava K é mais sexy!
- Cala a boca Nat!
- Eu prefiro ele mau, dá licença Thami?

O carinha do arroba deu um tapa no cabeção da Thami...

- Fiquem quietas porra! Quero assistir essa merda! Maldito Tony Ramos!
- Nandooo! Olha para mim, não para ele. Olha para sua May aqui!

Eu estava vendo o filme do telão, ou o das loucas?

- Gente, falem baixo. A Escrava K vai desconcentrar e não vamos chegar aos 12000...
- A Maya viaja legal, né? Até parece que a escrava está concentrada em alguma coisa...
- Verdade Meny... com o gostosão do lado dela, fica complicado.
- Vamos arrancá-la dali!
- Nossa, a Liv é do mal!
- Fê, puxe a escrava pelos cabelos!

A menina se curvou sobre a pobre escrava, mas os cabelos curtos da lacaia não ajudaram.

- Não dá Lê, ela teve piolho, lembra? Cortamos os cabelos...

Uma outra louca entrou no cinema correndo, de óculos escuros.

- Pouco atrasada, né Glaucy?
- Desculpem meninas, demorei mesmo... não pega no meu pé Steph!
- Puh, tira essa merda desse travesseiro da boca! Agora!

Eu não agüentei, aquilo já era demais. Levantei e virei para trás.

- Puta que pariu, vocês podem calar a boca?
- Bella, olha o escândalo...
- Me deixa Emmet!
- Ei, seu nome é Bella, né? Agora que me toquei... parece com Becca!
- Verdade Taty, só falta ela ter um Bernard na vida!

Eu desisti de lutar contra aquilo e me sentei, enterrando-me na poltrona e rezando para o filme acabar. Quando os créditos finais começaram a subir, puxei Emmet e saí daquele hospício.

- Mas eu nem me despedi das gatinhas...
- Esquece Emmet, esquece...
- Elas são do Orkut, é? Vou entrar lá...

Entrei na pick-up e me xinguei mentalmente por ter ido nesse encontro. Quando ele estava dando a ré, a escrava parece ter escapado e vinha correndo em nossa direção.

- Socorro! Socorro!
- Emmet, pare!

Abri a porta para ela, que se jogou no banco de trás. Emmet saiu cantando pneu.

- Coitada... o que elas fazem contigo?
- Me obrigam a escrever...
- Mas o que?
- Uma história maldita!
- História? Sobre?
- Sobre vocês.
Hein? Achei melhor não perguntar. Emmet sorria olhando pelo retrovisor.
- Vou aproveitar que Rose não está em casa... e vou te escravizar... que tal?
- Com você eu vou até para o inferno!

Tinha ido para a casa da Bella, esperá-la chegar. Pelos meus cálculos, o cinema já tinha acabado e eles deveriam estar em casa em... 15, 10, 2 segundos. Chegaram. Bella saiu meio furiosa do carro enquanto Emmet parecia super feliz. E também tinha outra pessoa no carro. Acorrentada pelo pescoço. Credo. Emmet foi caçar e levou Bella junto?

- Foi bom o filme?
- Uma merda!
- Ei Bella, o que houve?
- Só tinha louca no cinema! Olha isso, elas tinham uma escrava! Escrava, Edward!
- Agora é minha...

Emmet estava com a garota no colo. Ele lembrava de Rosalie, certo? A escr... garota pulou do colo dele e me agarrou. Opa! Olha a mão! Até que ela era gostosinha, mas Bella estava ali na minha frente, né? Emmet puxou ela pelos cabelos e deu-lhe um beijo na boca.

- Tira o olho Edward! A escrava é minha!
- Emmet, não é escrava de ninguém... nós vamos soltá-la!
- Fumou maconha Bella?
- Po-posso falar?
- Fala escrava...
- EDWARD! Não a chame assim!
- Desculpe... qual seu nome?
- Não lembro... me chamam de K.
- Fale K.
- Eu quero ficar... não me importo em ser escrava desse loiro...
Emmet deu-lhe um tapa na bunda e jogou-lhe por cima dos seus ombros.
- Assim que se fala K! Mim ser Tarzan, você ser Jane.
Fiquei olhando abismado, enquanto Emmet a colocava no carro e saía cantando pneu. Bundinha gostosa... eu pegava.
Entrei com Bella, enquanto pensava em como lhe falar aquilo.
- Tenho que ir a Paris.
Super delicado Edward.
- Hein?
- Tenho que ir a Paris... domingo.
- Fazer o que em Paris?
- Resolver uns problemas...
- E não vai me contar quais?
- São uns problemas amor... de... família.
- Sua família?
- Mais ou menos...
Ela ficou me olhando séria, parecia que estava com raiva. Tinha uma fumaçinha saindo de sua cabeça.
- Quero ir!
Não se fazem mais namoradas como no século XVIII, que você fala e elas acatam. Impressionante.
- Bella, não é legal você ir... é um caso complicado...
- Eu conheço sua família, e gosto deles. Tirando Rosalie.
- Meu bem, não é essa família. É minha família... mais antiga...
- Ow. Tem a ver com seu medalhão?
Ela não esquecia das coisas que eu contava não?
- Sim.
- Então me leva?
- Céus Bella! Que teimosia! Não quero que você acabe em janta!
- Credo Edward! Por que eu acabaria? Sua família daqui nunca tentou nada comigo.
- Minha família daqui é bem diferente de Lestat.


- Hein?

Hein? Fiquei tonta. Lestat?


- Lestat? Sua família? Hein?
- Você não vai, ok?
- Você é parente do Lestat e sabe que eu tenho vontade de conhecê-lo!
- Sei que você tem amor ao perigo...
Ele estava falando sério. Não iria me levar. Não podia acreditar nisso. Sentei na cama e calei a boca. Senti meus olhos arderem. Merda.
- Bella... você não está chorando por isso...
- Me deixa.
- Meu amor, olha que incoerência... ninguém sonha em conhecer um vampiro. Geralmente a pessoa foge dele.
- Eu sou estranha. Você mesmo diz isso.
- Por que quer tanto conhecê-lo?
- Porque eu gosto dele.
Ele me olhou sério. De cara feia.
- Não do jeito que eu gosto de você! Mas ele é famoso, tem os livros, filmes, tudo mais, né?
- Dispensa comentários sua observação.
- Ok.
Fiquei calada e fiz a minha maior cara de criança carente. Me esforcei, juro. E acho que ele caiu.
- Vamos supor, apenas supor, que eu te leve...
Isso! Opa, não desfaça a cara, contnue Bella, até a palavra supor desaparecer.
- Hum.
- Você me obedeceria completamente e não chegaria perto dele, certo?
- Claro...
- Bella...
- Sério Edward. Mas não poderei nem vê-lo de longe?
Ele me olhava, me estudando. Demorou um pouco para me responder.
- De longe, e comigo junto. E você não abre a boca para falar com ele.
- Credo! Ele é tão ruim assim?
- Um pouco.
Não estava nem aí. Eu ia para Paris e ainda ia conhecer Lestat-deus-supremo-dos-mortos-vivos! Óh! Levantei e pulei em seu pescoço.
- Brigada! Brigada! Brigada!
- Tudo bem. Mas tem uma coisa... você vai fazer compras.
- Como assim?
- Não vou te levar com seus moletons... se quiser ir, tem que ser bem vestida.
Mas que porra... Bella, não brigue!
- Ok. 
O que eu não fazia para deixar essa mulher feliz... ela deu um bilhão de beijos no meu rosto. Isso era bom.
- Então, ele é o que seu? Irmão?
Lestat, meu irmão? Essa era boa...
- Não.
- E vamos esquecer isso por hoje. Quando estivermos viajando, eu te conto minha história.
Puxei-a pela mão e trouxe-a de pé junto a mim.
- Acho que estou ficando bonzinho. Já percebi que você gosta de bad boy.
- Eu?
- É... só se interessou por mim achando que eu era um tipo de assassino inveterado. Depois foi a vez de James... até o Jake quando apareceu de moicano você passou a olhar mais.
Ela ria no meu pescoço.
- Ah claro! Verdade! Eu prefiro os maus! Você está virando flor-do-campo, amor...
- Eu percebi isso há tempos...
Peguei ela no colo e joguei-a na cama.
- Preciso recuperar minha fama de bad boy com você. Vai ter que agüentar agora...
Levantei sua blusa até o sutiã e fui dando leves mordidas por sua barriga, que se arrepiava por onde minha língua passava. A porra da campainha tocou. Não estava nem aí... outro otário que atendesse.
- BELLA!
Merda. Infeliz!
- Ow, Edward, peraí...
Deixei-a levantar para ir até a porta. Eu mataria lentamente quem tinha gritado.
- Que?
- Tem visita aqui embaixo!
Pela voz eu reconheci. Era a imbecil da Jessica. Sim, eu aprendi os nomes. Não que fizesse diferença. Bella desceu e fui atrás para ver quem era a visita em ótima hora. Só podia ser, claro. Barata branca estava em pé na sala, com uma caixa gigante da TV de plasma.
- E aí, Cu, saudades?
 Mentira que James estava ali. Ele chegou numa hora bem inapropriada! Percebi que ele estava bem diferente. Tinha cortado o cabelo.
- James, quanto tempo!
- Não é Bella? Senti saudades...
- Você é o que? Tipo um karma na minha vida, barata branca?
- Tipo isso... vai saber, né? Mas não vim para ver nenhum dos dois. Vim trazer a televisão.
- Ah, obrigada! Não precisava mesmo...
- E quem disse que é para você? Está se achando Bella...
Não era? Ele tinha dito que era...
- Ah. Ok.
- A moreninha está aí?
- Angie?
- Angie? (Jess ficou gasguita)
- É!
- ANGIE!
Gritei para ver se ela vinha logo e James fosse embora, para que eu pudesse voltar para meus... afazeres o mais rápido possível.
- Que?
- Oi Angie!
Ela estranhou James estar se referindo a ela, mas desceu com um sorrisão no rosto.
- O-oi.
- Tudo bem coisa linda?
Céus! James era patético! Coisa linda? Isso estava ficando ultrapassado... Angie olhou para mim.
- Ele falou contigo, não comigo...
- Comigo está tudo ótimo, melhor impossível!
- E... qual seu nome mesmo?
- Jessica!
- Certo... mas eu perguntei para Angie.
Ai. Essa doeu... fiquei com pena. Mentira, fiquei porra nenhuma! Estava rindo pra caralho. Internamente, claro.
- Tu-tudo bem sim.
- Trouxe um presente para você, mas se quiser pode dividir com suas amigas...
Como assim, dividir? Se ela quiser? James merecia levar umas boas porradas!
- Ok, eu posso dividir sim.
Pode? Pode? Angie també entraria na porrada.
- Bem... pelo visto nós não fazemos falta aqui. Vamos subir Bella?
- Vamos.
Deixei James e Angie lá, com a vela no meio e voltei com Edward para o quarto.
- Ele não está zoando minha amiga não né? Digo, ele não quer apenas usar a Angie para me fazer ciúmes não né?
- Não. Eu já teria lido, se ele pensasse isso. E ele realmente desistiu de você Bella... a parada do sangue é coisa séria entre os meus.
- Certo. Por que a Angie é a única que eu gosto de verdade aqui. Não quero vê-la sofrer.
- Oh. Bem... isso eu não posso te garantir... James estava com uns pensamentos bem pervertidos lá embaixo...
- Ow. Não. Menos Edward. Não quero saber.
Ele riu e me puxou, abraçando minha cintura e beijando meu nariz.
- Eu pensei em representar com você tais pensamentos...
- Ah bom, isso eu não me incomodo! Pode me fazer sofrer à vontade!
- Tem certeza? A ardência passou?
Ele era ridículo né? Não dá nem vontade de responder a essa pessoa...
- Cala a boca Edward! Faz o que você tem que fazer!
- Hum... namoradinha safada a minha...
Ele mordeu meus lábios enquanto ria, seu hálito gelado me invadindo e sua mão passeando pela minha nuca, me levantando no ar e ... eu estou ano ar. Eu estou no ar? Eu estava levitando, P-O-R-R-A! Chupa essa manga, vai? Quem tem namorado que levita aí, levanta a mão! Edward continuava abraçado a mim enquanto nós estávamos a uns 50cm do chão.
- Wowww.
- Isso é para não reclamar que não te levitei...
- Você é o melhor namorado do mundo!
- Certo... e quantos outros você tem mesmo?
- Cala a boca Edward!



Eu nunca me cansaria de irritá-la. Se ela soubesse como ficava linda com as bochechas coradas, tiraria uma foto e mandava revelar em tamanho 50x60 (existe essa porra?).

- Agora só falta você saltar a janela comigo! Não que você já não tenha feito isso...
- Eu caí Edward... eu caí...
Sim, ela tinha caído. Me lembrar disso me fazia rolar de rir, não literalmente, claro. Mas era ótimo relembrar essa cena.
- A sorte é que você tinha seu pára-quedas particular, né?
- Não enrola... nós vamos domingo mesmo?
- Domingo?
- Viajar!
Merda! Ela não tinha esquecido... talvez ela pudesse esquecer quando dormisse. Gostaria de ter um poder do tipo que apaga a memória dos outros. Lembro que teve um episódio em Smallville, que o Lex parece ter construído uma máquina dessas.
- Edward!
Bella atrapalhou meus planos malignos em me juntar a Lex Luthor. Droga!
- Ah sim! Viajar... vamos sim...
- Por que você falou que eu precisava de roupas novas? Isso significa que eu me vesti mal?
- Amor, é só que Lestat é um pouquinho chato com isso...
- Sei.
- Mas pode deixar que Alice ajuda você com as compras.
- Alice?
- Isso.
- Você vai me mandar sair com sua irmã vampira?
- Você foi ao cinema com Emmet e não reclamou.
- Reclamei mentalmente. Você não precisou vê-lo dançar ao som de Akon.
Ela não sabia de nada... do meu sofrimento eterno com Emmet.
- Você não precisa vê-lo dançar todos os dias em casa ao som de Akon, Rihanna, Britney, Madonna e por aí vai... pelado!
- Ow.
- Exato. Ow.
- E com Emmet eu já tenho um pouco mais de intimidade... nunca conversei muito com a Alice...
- Então! Mais uma coisa boa em vocês irem juntas! Poderão se conhecer melhor.
- Edward, jura que ela não vai me comer?
Bem, falando assim... Céus. Ew. Mente podre a minha!
- Bella, isso foi estranho. Terei pesadelos... é algo meio incestuoso, sabe? Não que eu não goste de pensar em duas mulheres juntas... mas minha irmã... bem...
- EDWARD! Comer não no duplo sentido, ok? Credo!
- Ah. Ufa! Alívio...
- Meu Deus, você passa muito tempo com o Emmet, sabia?
- Eu?
- Não, minha vó.
- Sua vó conhece Emmet?
- Vai te catar Edward!

 Ele pareceu falar sério ao dizer que eu faria compras com Alice. Meia hora depois da ligação que ele fez para ela, a baixinha de cabelo espetado apareceu lá em casa.
- Oi James! Merda! Não faz isso comigo seu mala!
- Ah. Ok. Desculpa.
Era tão bom ver outras pessoas caírem na do James... eu ficava feliz em saber que isso não teve efeito comigo. Era bom ser estranha! Ela veio até mim e pulou no meu pescoço.
- Pronta para nossas compras no shopping?
Hehe. Hehe. Só.
- Super pronta!

Olhei para Edward que sorria malignamente, enquanto Alice me arrastava pela mão, até o carro. Eu torturaria aquele Cullen mais tarde.
- Então cunhadinha, qual a ocasião?
Ela me perguntou enquanto sentava ao volante, com um sorriso brilhante no rosto.
- Viagem... Paris... Lestat...
Alice me olhou espantada. Não era para contar?
- Lestat? Como assim?
- É. Edward vai resolver umas coisas por lá com ele...
- E você vai junto?
- Er... sem querer ser chata... mas você não prevê o futuro?
Ela fez cara de choro.
- Não é nada muito eficiente, sabe? Eu bem que me esforço... eu até vi vocês num avião, mas não vi qual era o destino.
- Ah ta.
- Mas me explica melhor isso.
- Não é nada demais. Ele só vai me levar junto.
- Para perto de Lestat?
- É.
Ela socou o volante e rosnou. Eu hein. Que foi agora?
- Edward me paga! Ah, se paga!
- O que foi?
- Eu sempre implorei para ele me apresentar ao Lestat, e ele sempre me enrolou!
- Hum. Ele quase me enrolou também...
- Ele me paga!
É... ela já tinha dito isso. Fiquei com medo, ela dirigia com raiva... se ela batesse eu morria! Hello!
- Alice... eu nem estou com pressa, pode ir devagar se quiser, ok?
- Eu estou!
Alice meteu o pé no acelerador e eu vi os borrões verdes (árvores) passando.
- Ok. Aprendi com minha mãe, que nessas horas devemos respirar fundo, e soltar. Vai, respira...
- Eu não preciso respirar Bella.
- Ok. Mas é legal...
- Ele me paga!
Céus. Será que ela tinha engasgado nessa frase? Tive vontade de bater em suas costas... vai que dá certo, né? Graças a minhas orações, chegamos no shopping. Ia ter que pagar minha promessa depois. Ela saiu puta do carro e me puxou pelo braço.
- Vamos comprar roupas!
- Ah. Ok.
- Edward me paga! Vou fuder com o cartão de crédito dele!
Ow. Não era legal isso...
- Me diga Bella, você gosta de brilhantes?
- E-e-eu?
- Porque eu adoro!
Edward realmente estava fudido.




<<< Capitulo 14                                                                 Capitulo 16 >>>

2 comentários :

Amigaaaaa....
Adoreiiii, esta fodaaaaaa.
Se liga, postei o capitulo 3 de bella e o capitão masen vai no nyah dar uma olhada
bjks

21 de dezembro de 2010 00:03 comment-delete

ADOREI !!Posta mais *-*

21 de dezembro de 2010 16:59 comment-delete

Postar um comentário