TCS - Capitulo 12

Capítulo 12.





Algum tempo depois Edward estava me deixando em casa. Quer dizer, me levando. Porque eu não o deixaria ir embora, claro. Abri a porta e quem veio me receber primeiro, foi Jake.

- Pai poderoso! O que fizeram com o cão?

Edward me perguntou horrorizado, enquanto eu olhava assustada par... bem, Jake. O bicho estava com as patas depiladas, e metade do corpo também. A outra metade, tinha pêlos. Eu entrei em casa procurando por Angie.

- Bella! Voltaram! Como foi lá?

- Maravilhoso. Angie, o que aconteceu com... Jake? É o Jake ainda, né?

Ela olhou triste para o cão.

- Levei-o no pet shop para cortar as unhas... e parece que confundiram os cães. Depilaram ele.

- Pela metade?

- É que quando perceberam o erro, pararam.

Cruzes! Fiquei com pena do cachorro. Se com laço rosa ele já ficava estranho, agora então, podia dar adeus à sua masculinidade. Se é que ele ainda tinha alguma. Buzinaram lá fora. Emmet e Rosalie estavam descendo do carro dela.

- Edward!

- O que eles estão fazendo aqui?

- Querem ir caçar.

- Edward, nós estamos indo caçar, ok?

- Tenho cara de babá, Emmet? Veio me avisar por quê?

- Por nada... sei lá... vontade ué.

- Deixa de ser grosso, Edward... Oh meu deusss, que coisa ridícula!

Rosalie tinha visto Jake sentado perto do sofá.

- O que é aquilo?

- Um cão.

- É seu parente, Bella?

Não teve graça. Nenhuma. Mas antes que eu pudesse pensar em uma resposta, Jake pela primeira vez me deixou feliz. Levantou a pata e mijou na perna da estátua loira.

- Cão do inferno, você est...

Agarrei e corri com Jake no colo antes que ela terminasse a frase. Edward a empurrou para fora da casa. Ótimo, não iria mais morrer por causa de um cão. Olhei para Jake. Por causa de um troço peludo.

- Me dá meu bebê!

Angie pegou Jake e subiu para o quarto.

- Cão corajoso... ia ficar sem cabeça.

- Sinceramente Edward, amei o que ele fez.

Ele riu e me puxou pela escada.

- Eu também. Quando estiver puto com Rose, vou vir aqui buscá-lo, ok?

- Angie me mataria!

A porta do quarto de Jess abriu.

- Oi Edward...

O sorriso abriu no rosto dela. Tipo, oi também Jess. Estou bem, e você?

- Oi.

- Foi boa a viagem? Se divertiu? Onde foi?

- Na verdade, nem me diverti... Bella não quis me dar.

O queixo dela caiu e ela me olhou incrédula.

- Qual seu problema Bella?

Mas hein? Entramos no quarto e Edward fechou a porta na cara dela.

- Suas amigas dão trabalho. Bastante trabalho. Elas são mesmo suas amigas?

- Zoa mesmo...

- Sério meu amor... elas pensam mais em mim do que em você.

- E quem não pensa? Digo, eu não tenho rosto esculpido, nem lábios perfeitos, nem voz sedutora.

- Esqueceu da destreza também.

- Cala a boca, Edward!

Ela me acariciou com seu tapa básico e me beijou. Destreza era algo que realmente faltava nela. Tive que segurá-la quando ela se desequilibrou ao se esticar para me beijar. Ela dormia no meus braços, respirando tranquilamente. Estava distraído quando ouvi sua voz.

- O que você viu em mim?

- Há quanto tempo está acordada?

- Uns minutos... você estava olhando para o além.

Eu sorri, tirando a mecha de cabelo que caía em seus olhos.

- O que eu vi? Bem, antes de mais nada, sua bunda.

Ela riu mordendo os lábios.

- Sério Edward...

- Eu não sei... apenas me interessei. Você é bem diferente das outras garotas Bella. Eu gosto de você não ter medo de dizer o que pensa, de não levar desaforos para casa, de ser assim toda errada...

- Ei!

- Ah, admita... há um certo charme na sua estranheza amor...

- Eu sou estranha por ter me apaixonado por um vampiro louco, isso sim!

- Concordo.

- Essa era a hora que você devia discordar, mas tudo bem.

- Dorme... já basta eu com olheiras, ok?

Fiquei olhando ela adormecendo novamente, até cair no sono profundo. Desci um pouco para procurar o que fazer. Jake dormia num canto da sala. Ele estava ridículo. Não que ele já não fosse. Mas resolvi consertar o estrago que fizeram no pobre cão.

- Jake... psi psi psi, vem cá...

O bichinho feio levantou abanando o rabo com a língua de fora e veio até mim.

- O que faremos com você?

Acordei com o beijo mais delicioso do mundo. O dele. Era inconfundível, claro. Não era qualquer um que tinha uma boca daquelas, mas enfim... parei de pensar nisso um pouco. Edward estava sentado na beira da cama, com um sorriso no rosto.

- Bom dia, flor.

- Virei flor é? Ontem eu era estranha...

- Ah, uma flor estranha. Mas é minha.

Ele considerava isso um elogio? Acho que sim, já que me agarrou e me jogou de novo na cama, beijando meu pescoço.

- Edward...

- Certo, melhor ficar quieto... a porta do seu banheiro não me agüentaria com sede...

- Haha, muito engraçado.

- AAAHHHHHH!

Pulei da cama com o grito de Angie.

- Céus, o que foi agora?

Descemos a escada correndo para encontrá-la sentada no sofá segurando algo no colo. Quando eu cheguei perto, eu vi.

- Ow. OMG! O que fizeram com ele agora?

A pobre chorava enquanto ninava o cão.

- Eu não sei... acordei e ele estava assim.

Deixa eu explicar. Jake era um cão lindo na noite passada. Ele depilado estava um arraso, perto de como ele estava agora. Porque na única parte que restara de pêlos, ele tinha um moicano. Azul. Eu disse azul, certo?

- Quem faria isso? Digo, quem deixaria ele mais feio ainda?

Ela me lançou um olhar mortal. Ops.

- Credo! O circo chegou na cidade?

Angie desatou a chorar mais ainda quando Lauren desceu e soltou seu veneno. Ou não. Dessa vez eu tinha que concordar.

- Bem... não fui eu, nem você, nem Lauren... só nos resta... Jess.

Eu terminei de falar e Angie já estava batendo na porta de Jess.

- Que é?

- Por que você fez um moicano no Jake?

- Eu o que?

E então Jess sentou no chão para poder rir quando viu o cão atrás da Angie.

- Bella, vem cá.

Edward me puxou para a cozinha.

- Bella... fui eu.

- Você o que Edward?

- Eu que fiz o moicano.

Não gostei quando ela me olhou feio.

- Ficou louco? Por que fez isso?

- Foi com boa intenção... o cão é todo bizarro... ao menos o moicano ficou igualado.

- Você está me sacaneando, né? Igualado?

Que que tem? Eu gostava de moicanos, sempre quis usar... mas ia ser estranho vampiro de moicano. Perderia minha moral com as vítimas.

- Achei que fosse ficar melhor do que antes.

- Edward! Você fez um moicano no cão! E azul! Como assim, azul?

- Eu gosto de azul! E esse cachorro tem usado muito rosa para meu gosto... precisava de algo para fortificar seu lado masculino.

- Onde você achou jeito de fazer um moicano azul?

- Anilina.

- Hein?

- Anilina azul. Tenho lá em casa.

- Você foi buscar anilina em casa?

- Na verdade... eu o levei até lá.

Ela arregalou os olhos e abriu a boca. Qual o espanto? Não posso passear com Jake?

- Acho melhor você não contar que fez isso. Eu quero continuar morando aqui.

- Ok.

Voltamos para a sala. A dona do cão continuava chorando. Ah vai, ele tava legal. Arrepiando!

- Eu achei que ficou show de bola.

Todas me olharam pasmas.

“Ele gostou?”
“Também acho que ficou lindo!”
“Pensando bem... eu gosto de azul...”

Era isso então? Foi fácil assim? Ah... como Bella era dramática!

- Seja lá quem fez isso... acho que gostei...

A dona do cão beijava ele agora, feliz da vida. Bella me mandou um olhar frio.

- Assim até eu!

Eu tinha vontade de afogar aquelas garotas na privada. Foi só Edward abrir a boca dizendo que ficou legal, para todas concordarem. Bando de piriguete! Entrei no carro de cara fechada.

- Bella, todas gostaram...

- Por que você disse que gostou. Só por isso.

- E qual o motivo da raiva então?

- Se eu tivesse feito o moicano, estariam me crucificando agora!

- Ah bem... isso é verdade. Mas é que você provavelmente teria feito um moicano torto.

- Cala a boca Edward!

Ele ria da minha cara enquanto dirigia para a faculdade. Estacionou na sua vaga patética que ostentava sua plaquinha patética.

- Bom dia.

Eu não tinha visto a ruiva. Me senti mal do seu lado... o cabelo dela brilhava horrores. Era tinta, né? Seus cabelos vermelho fogo me hipnotizavam... o que estava acontecendo comigo? Virei lésbica agora?

- Bo-bom dia...

- É.

Edward conseguia ser antipático quando queria...

- Nossa, quanto humor! Isso é por causa de James?

Ela precisava mesmo tocar no assunto? Senti os dedos do Cullen me apertando a cintura.

- James? Não.

- Achei que fosse. Ele andou bem irritado esses dias... precisamos ficar caçando a semana toda, até ele melhorar. Poderosa hein Bella...

Eu? Era comigo?

- Estamos atrasados... até mais Victoria.

Edward me puxava como se fugisse dela como o diabo fugia da cruz.

- Cruzes Edward. Ela foi simpática.

- Eu não quero envolvimento com nada que venha de James.

- Deixa de neurose, por favor? Tenho certeza que já sou passado para ele...

- É mesmo Bella?

Bem, eu tive que morder a língua quando vi James na entrada do prédio, encostado na parede, segurando um buquê de flores. Fudeu.

- Oi Bella!

- Vai se fuder, barata branca!

- EDWARD!

- Cullen, estou falando com Swan. Pode ser educado ao menos uma vez na vida?

- Você deixou para fazer esse show aqui, né? Sabe que aqui eu não posso te matar.

- Não... sei que aqui você não pode tentar me matar. Porque você nem conseguiria mesmo.

- Vocês dois podem parar com isso?

- Eu já parei, diva. Ele é que implica com a minha pessoa.

- James... chame-a de diva novamente e vai sair voando até a Lua.

- E você explicaria isso como mesmo, hein?

- Posso dizer que sua família extraterrestre voltou para lhe buscar.

- Ninguém acreditaria que você foi deixado para trás, Cullen...

Ele estava pedindo, né? Estava. Puxei Bella pela cintura e meti-lhe a língua na sua boca. E ainda gemi. Rá. Toma essa!

- Edward... chame menos atenção, por favor...

- O que foi isso, Cullen? Provocação?

- Não. Só vontade de deixar minha namorada excitada.

- Sei. Eu conseguiria melhor... levitando com ela.

- Você levita?

Bella ficou surpresa. E daí que ele levita? Isso era a coisa mais ridícula de se aprender.

- Claro diva! Aprendi com Lestat!

Ai, caralho...

- Conhece Lestat também?

- Eu conheço, Bella. Lembra que falamos nisso?

- Shhh Edward. Deixa ele contar.

Hein?

- Conheço há séculos... se quiser te apresento.

- O dia que isso acontecer você precisa me matar antes James...

- EDWARD!

- BELLA! Eu também levito e conheço a porra do Lestat!

- Por que nunca me disse que levitava?

- Não sabia que namorava uma tiete de circo, só isso.

- Olha como fala com ela, Cullen!

- Inacreditável, Edward!

Eles ficaram ali batendo boca e eu não tinha a mínima intenção de me atrasar para a aula. Saí andando e deixei os dois vampiros para trás. Acho que nem sentiram minha falta, pois o ego deles era grande o suficiente para ocupar meu espaço.

- Arrasando corações Bella...

Lá vinha a ruiva com seus cabelos brilhantes.

- Não arraso coração nenhum...

- O de James você arrasou!

- Bem, ele é todo seu! Não faço questão...

- Não quero James. Mas se você enjoar do Cullen, pode jogar lá em casa!

Hein? Qual Cullen? O meu? Quem essa cabeça de fósforo pensa que é? Além de vampira sanguinária? Voltei até os imbecis James e Edward e puxei o MEU Cullen pelo braço.

- Vamos!

- Ei! Peraí! Vamos onde?

- Sair daqui...

- Oi Edward...

A ruiva passou por nós e piscou. Grrr!

- Quem te mordeu Bella? Ok, piada sem graça...

- Nada não, só quero ir para minha aula.

Nós subimos para o 2º andar. Tanto a minha sala quanto a dele eram ali. Ele parou na porta da sala dele.

- Fico aqui, amor... nos vemos depois?

Victoria chegou também e entrou na mesma sala.

- Quer que eu guarde seu lugar Edward?

Como? Era zoação né?

- Edward, que tal matarmos aula hoje?

- Por quê?

Ah porra, vai me perguntar o motivo?

- Sei lá... deu vontade de surtar um pouco!

- Não Bella, tenho que ser responsável por você... e você precisar assistir sua aula.

- Está brincando, né?

- Não...

Eu olhei lá pra dentro e Victoria estava sentada numa fileira, com a bolsa guardando a mesa do lado.

- Certo, então vou ficar contigo!

- Fumou maconha amor?

Edward estava me deixando muito irritada! Dei-lhe um tapa e entre na sua sala. Passei pela ruiva e entrei duas fileiras acima. Edward me seguiu.

- Bella!

- Vou ficar. Quero ver sua aula.

- Você está bem?

- Totalmente!

Ah não... lá vinha a ruiva! Eu mataria ela, nem ligava mais para o fato dela ter caninos e força extra power.

- Vou me sentar aqui, ok? Esqueci o livro em casa...

A faca sentou do lado do meu namorado. Ele ficou no meio das duas... tipo bendito fruto. Precisava chamar a atenção dele toda para mim.

- Edward...

- Que?

Bella além de ter entrado junto comigo na minha aula, não calava a boca.

- Estou sem calçinha...

Mas que porra...?

- Como é que é?

- Isso mesmo...

Ela queria o que? Me matar? Mas como...?

- Você não está naqueles dias amor? Vai sujar a roupa...

Ela fez uma cara não muito feliz e ficou vermelha. Eu não sabia dizer se de raiva ou vergonha. Falei algo errado?

- Esquece Edward!

- Edward, em que página o professor está?

Victoria se inclinava em minha mesa.

- Página 131.

- Obrigada!

Ela me beijou no rosto. Hein?

“Ele é burro ou se faz de burro?”

- Hein?

- O que?

Victoria me olhava confusa...

- Falou comigo?

- Não.

“Será que ele está se fazendo de desentendido por causa da namorada?”

- Hein?

- O queeee???

Ela me olhava mais confusa ainda.

- Edward... estou excitada amor...

- Hein?

“Olha ela tentando prendê-lo..”

Virei para Victoria.

- Do que vocês estão falando?

Bella me puxou.

- Do que você está falando com ela?

Fala sério, estava ficando puto já com essas duas loucas...

- Cala a boca ruiva!

- Ponha-se no seu lugar coisa sem sal...

- CARALHO! SAIAM DAQUI VOCÊS DUAS!

Ops. Um pouco alto. O professor deu um pulo e a caneta dele voou longe. Algumas dezenas de alunos olhavam para os três retardados ali.

- Edward? Algum problema aí em cima?

- Todos! Essa aqui não faz sua matéria. E esta aqui não paga mensalidade. Poderia pedir para as duas saírem?

Bella me puxou pela blusa.

- Edward! Ficou doido?

- Por que não fazemos melhor, senhor Cullen? Que tal os três se retirarem para que os outros alunos possam entender alguma coisa?

Então eu estava sendo retirado de sala de aula. Em 338 anos eu nunca fui expulso de lugar nenhum.
Peguei minhas coisas e saí puto da sala. As duas vieram atrás de mim.

- Você! (apontei para Victoria) Some da minha frente. Agora!

Ela sorriu e me deu tchau com a mão. Olhei para Bella com cara de “não fiz nada”.

- O que te deu?

- Nada! Não fiz nada!

- Eu fui expulso!

- Bem, não foi essa a minha intenção. E a culpa é sua! Eu queria matar aula...

- Você matou aula. A SUA!

Ela ria. Tinha alguma graça no fato de eu ter sido expulso? Traduz para mim.

- Bobo! Só queria ficar mais tempo contigo.

Isso me cheirava a mentira braba. Comecei a ligar os fatos... e as frases... e os pensamentos da diaba ruiva.

- Bella... isso tudo por acaso, não foi por ciúmes, foi?

Ela corou. Nem mentir conseguia.

- Ciúmes? Claro que não!

- Certo.

Saí andando para o reduto alimentar daqueles humanos. O local da lanchonete.

- É engraçado... eu não posso sentir ciúmes e dar show com o James. Mas a senhorita pode me fazer ser expulso de sala.

- Ah Edward, deixa de drama, vai...

Drama? Que drama? Drama era o que eu via agora. James e Victoria sentados no mesmo lugar aonde eu ia. Deus, manda logo um raio na minha cabeça!


<<< Capitulo 11                                                                   Capitulo 13 >>>

2 comentários :

ai que perfeito *-*
adorei

13 de dezembro de 2010 14:08 comment-delete

Caah...
Esta fantásticoooo, adorei o cap.
Super engraçado.
bjks

13 de dezembro de 2010 14:23 comment-delete

Postar um comentário