BJO - Capitulo 3

| Capítulo 3: O Baile |

N/A: Este capítulo será narrado em sincronia por Bella e Edward.



Pouco mais de 1 semana havia se passado desde nossa primeira vez. Eu e Edward combinamos de dar um tempo no sexo, já que só a nossa primeira transa já me resultou em inúmeras marcas roxas pelo corpo e várias dores musculares. Mas a verdade é que eu nem me importava de ficar assim, visto que o sacrifício valia a pena. E muito.
Agora porém, havia outra coisa me tirando o sono e me deixando profundamente estressada. O baile de formatura. Eu não fazia a mínima questão de ir, mas eu senti que acabaria com a felicidade de todos os Cullen, se não fosse.
Tinha acordado com uma dor de cabeça terrível, e isso fazia com que meu humor não estivesse em seus melhores dias. Pretendia passar o dia todo fazendo faxina e colocando minhas coisas em ordem, mas então meus planos foram por água abaixo, ao ouvir aquela voz fina chamando por mim...

- Bellaaaa! Espero que esteja preparada!

Um calafrio passou por minha espinha, quando vi Alice entrando na minha cozinha com um sorriso de criança arteira no rosto, segurando em uma das mãos, um vestido coberto por uma capa, e na outra, uma maleta, que eu julguei ser de maquiagem.

- Alice? O que vo-você veio fazer aqui? (sorri já com o medo da resposta)
- Ué Bella, eu vim te ajudar a se arrumar para o baile. Eu não podia te deixar sozinha!

Eu joguei meu corpo em uma das cadeiras, fazendo cara de choro. Não podia acreditar que isso estava realmente acontecendo. Depois do último baile, eu jurei que nunca mais deixaria Alice me arrumar. Mas isso já era uma questão perdida. Quando se tratava de um dos Cullen, era impossível ganhar.

- Tudo bem... (suspirei, sem forças) O que você tem em mente?
- Bella, não se preocupe, eu já tenho tudo esquematizado. Você só precisa ficar paradinha enquanto eu te arrumo, ok?

Aquela vampira minúscula me puxou pela mão, subindo para meu quarto. Me mandou ir tomar meu banho enquanto preparava as coisas. Quando voltei para o quarto, enrolada numa toalha, Alice me indicava uma cadeira que ela preparara para eu sentar. Respirei fundo, fechei meus olhos e tentei esquecer que aquilo estava acontecendo. Ela brincava com suas mãos de fada pelo meu rosto, quase me fazendo espirrar várias vezes.

Depois de maquiada e penteada, foi a vez do vestido. Confesso que tive medo nessa hora. Ela retirou a capa preta que cobria ele, e me revelou um vestido preto de um tecido leve, frente única e com um decote em V até o meio das costas. Era justo até o começo do quadril e depois se abria em ondas até os pés. Eu tinha substimado Alice... isso era pior do que eu imaginava. Quando eu me vesti, podia jurar que estava indo para algum baile da família Real. Era chamativo demais!

- Você está divina, Bella! O vestido caiu como uma luva. (disse sorrindo triunfante)
- É... um pouco... demais, não acha, Alice? Eu poderia usar o mesmo que vesti no último baile. Ainda tenho ele guardado...
- Ficou louca, Bella? Primeiro que eu não deixaria você cometer a gafe de repetir um vestido num evento desse. E segundo, que aquele vestido é azul... e a nossa cor hoje é preto!
- Nossa cor? Como assim?
- Nós combinamos de irmos de preto ao baile. Todos nós. Rosalie que deu a idéia... ela ama preto! (ela me explicava, enquanto pulava de um lado ao outro)
- Ah... todo os Cullen de preto? Quase que nem um time, né? Vocês querem mesmo chamar atenção. Enquanto Alice continuava falando sobre a adorável idéia de Rosalie, eu ouvi a buzina do Volvo lá embaixo. Me olhei no espelho mais uma vez e me senti horripilante, parecia que eu saíra de uma foto tirada em alguma festa black-tie. Isso não era meu gênero. Abri a porta do quarto, respirei fundo e desci as escadas.


Para qualquer outro adolescente, este seria um dia especial, no qual ele passaria o dia inteiro fazendo planos do que vestir e como agir durante a festa. Para um Cullen... bem, este era apenas mais um baile de formatura. Quando você já se formou mais de 20 vezes, você passa a conhecer todos os rituais daquele jogo. Eu sabia exatamente a hora que a pista de dança estaria bombando mais, a hora que o garoto bobo levaria um toco da patricinha da turma, a hora que nomeariam o rei e rainha do baile, e quando aquele bobo que levou o toco no início da festa, estaria tão bêbado a ponto de vomitar no vestido daquela patricinha...

Nada mais ali tinha graça, e se não fosse por essa mudança em minha vida, eu provavelmente não iria. Mas hoje, tinha a minha Bella lá. Tudo estaria diferente e gracioso. Não só eu, mas todos os Cullen estava animados para esta noite, como se Bella tivesse trazido vida para nossa família. Até Rosalie estava feliz. Tão feliz que resolveu que todos teríamos que nos vestir de preto. Eu na verdade nem liguei, tanto faz o que estaria vestindo. Eu só queria estar com o amor da minha vida.

Vesti o smoking, coisa que eu raramente usava, ajeitei a gravata borboleta, lembrando de como eu não gostava nenhum pouco daquele acessório. Calçei meu melhor sapato e dei uma bagunçada no cabelo. Olhei o relógio, estava na hora de buscar Bella. Traria ela pra minha casa, afim de sairmos todos juntos.
Desci as escadas assobiando tão alegremente, que percebi Esme dar uma risadinha abafada. Ela ainda não estava acostumada com essa minha repentina felicidade.

Dirigi rápido até a casa de Bella e buzinei avisando que tinha chegado. Como toda mulher demora demais para se arrumar, achei melhor entrar para não ficar mofando no carro. Mas é claro que eu estava errado, Bella não era nunca igual as outras garotas. Assim que passei pela porta da sala, ela começou a descer as escadas.

O que eu estava vendo era o suficiente para causar uma parada cardíaca, se realmente fosse possível acontecer isso com um vampiro. Bella estava deslumbrante num vestido preto esvoaçante que marcava sua cintura. Os cabelos estavam levemente presos, com alguns fios soltos caindo pelos ombros. Eu podia jurar que estava com uma cara de bobo olhando para ela. Como era possível aquela pessoa linda não ter nenhuma noção do tamanho de sua beleza, e do poder que exercia sobre mim? Quando ela parou na minha frente e me beijou, não consegui me conter, dando um puxão forte em sua cintura, para grudá-la ao meu corpo. Ouvi os risos de Alice lá no alto da escada e me lembrei que infelizmente não estávamos sozinhos. Vi Bella corar, deixando-a mais irresistível ainda!

- Você está incrivilmente linda!
- Está bem, Edward, não precisa disfarçar... eu sei que estou exagerada! (ela franzia a testa e fazia bico, deixando claro que estava contrariada)
- Tudo bem, eu paro de te elogiar. Mas depois não reclame quando eu te sequestrar e te manter em cativeiro, só pra mim. (eu não me contive, acabei sorrindo para ela)

Bella corou e afundou o rosto no meu peito sem que eu conseguisse entender o motivo daquilo. Levantei seu queixo com a mão, perguntando o que tinha acontecido.

- Oh Edward... é culpa sua. Você, assim... vestido desse jeito... é quase um atentado ao pudor. Aí eu só consigo ficar pensando em coisas... sabe? Aquele tipo de coisas... (ela falava graciosamente, desviando o olhar)
- Ah Bells, então você gostou da minha roupa?
- Você só pode estar me gozando, né? Ou até hoje você não descobriu que é perfeito?

Eu acabei rindo e a envolvi num abraço, enquanto nos levava em direção ao carro. Quando abri a porta do Volvo para ela entrar, pude ver seu vestido por trás, que até então não tinha visto. Desejei ter algo forte por perto para poder socar e extravasar o tesão que me subiu pelo o corpo.

- Bells, o que é isso? Você está me tentando a não te levar para esse baile e te carregar agora lá pra cima. (falei no seu ouvido enquanto acariciava suas costas nuas)

Ela se arrepiou e me olhou mordendo os lábios, dizendo que essa noite quem iria controlar a situação, era ela. Eu lembrei da nossa conversa no quarto, no dia em que transamos pela 1ª vez, e resolvi dar esse gostinho a ela.

Entrei no carro e dirigi de volta pra casa. Estavam todos prontos nos esperando. Preciso dizer que a cena era bem engraçada. Emmet e Jasper estavam encostados no carro da Rose e usavam uma roupa idêntica a minha. Rosalie e Alice, que já estava lá, estavam com vestidos pretos elegantemente parecidos com o de Bella. Aquilo mais estava parecendo uma família de mafiosos italianos indo para alguma festa da alta-sociedade, do que um grupo de adolescentes indo ao baile de formatura de uma cidade do tamanho de um ovo.

Chegamos ao colégio e estacionamos juntos. Era incômodo ver e ouvir os pensamentos dos caras que torciam o pescoço para olhar pra Bella. Segurei ela com força pela cintura para mostrar que ela já tinha dono e caminhei seriamente ginásio adentro. É claro que estava tudo como eu já imaginava que estaria. Tentei bloquear os pensamentos impróprios e nojentos de Mike sobre Bella, me controlando para não voar naquela cabeça loira e quebrar-lhe logo o pescoço. Tá, tudo bem, talvez isso não fosse a melhor maneira de encerrar o ano letivo, então me mantive calmo. Jéssica veio cumprimentar Bella, ao mesmo tempo que a invejava mentalmente, desejando ter tido a chance de usar um vestido daqueles, na minha companhia. Eu dei uma risada que ninguém entendeu, mas então sussurrei ao ouvido de Bella sobre o que se tratava. Bella deu um sorriso cínico pra Jessica, enquanto resolvia torturá-la, me surpreendendo com um apertão minha bunda.

- Hum... me diz Jess, eu tenho ou não tenho o homem mais gostoso de Forks?
- É, bem... vocês querem ponche? Eu vou pegar pra mim! Já volto.

Jessica saiu dali e juro que ouvi ela querendo achar um buraco para se esconder a noite toda. Bells deu um sorriso malígno pra mim, como quem tivesse acabado de derrotar um terrível oponente.

- Você é má, Bells. (eu ria pra ela)
- Ela mereceu! Aturo tudo dela, menos botar olho em você.

Eu a puxei para dançar, me juntando aos outros 2 casais que rodopiavam pela pista, chamando atenção de todos. Meus irmãos eram extremamente exibidos!


Começei a descer a escada e senti minhas pernas enfraquecerem ao ver Edward lá embaixo, de smoking, parecendo um príncipe saído de um conto de fadas. Me esforçei para continuar de pé, seria humilhante rolar justamente agora pelos degraus. Ele me olhava com uma cara estranha, de boca aberta... tive medo de que ele estivesse cogitando a hipótese de sair correndo dali, para não ter que ser visto ao meu lado no baile. Mas então ele me puxou com força e me deu um beijo de tirar o fôlego, me deixando sem-graça por estarmos na presença de Alice.

- Você está incrivilmente linda!

Ele estava me elogiando, que raiva! Eu preferia que ele fosse sincero, ele sabia que eu não ligava.

- Está bem, Edward, não precisa disfarçar... eu sei que estou exagerada!

Enquanto ele falava comigo, eu só conseguia olhá-lo como um cão que olha um bife. Percebi que estava começando a babar e tentei enterrar minha cara no peito dele. Eu precisava me controlar, ali não era hora nem lugar para aquilo, pois eu já tinha meus planos arquitetados para esta noite.
Quando ele me perguntou se a roupa tava legal, eu juro que senti vontade de socar ele. Porque ele age assim? Será que ele é tão tremendamente idiota a ponto de não saber o quanto é gostoso?
Ele fugiu do assunto, e fomos em direção ao carro. Ainda teríamos que voltar pra casa dele, pois os Cullen estavam esperando para irmos todos juntos.

Nessa hora meus planos quase foram todos pelo ralo, quando Edward resolveu sussurar no meu ouvido o seu plano diabólico de me levar de volta pro quarto, mas eu consegui convencê-lo (até agora não sei como), de que esta noite eu é quem daria as cartas, e não ele.

Chegamos na casa dele e eu tive que me beslicar para saber se não estava sonhando. Estavam seus 4 irmãos do lado de fora nos esperando, todos eles impecavelmente bem vestidos, assim como Edward. Será que ninguém avisou a esta família (que inclusive estava me lembrando a máfia italiana) que as pessoas normais se sentem mal ao lado de seres tão lindos? E que todos os pescoços masculinos poderiam se quebrar para olhar Alice e Rosalie quando passassem pelo salão? E pior, que o Emmet, o Jasper e, claro, meu Edward, podiam acabar matando todas as garotas do baile de falta de ar? Desse jeito eu nunca iria conseguir me sentir um membro da família. Só se fosse para fazer o papel do patinho feio.

Tentei abstrair esse fato no caminho para o colégio. Quando chegamos, o estacionamento já tava quase lotado, os vários casais transitando pelo pátio em direção ao ginásio, e a máfia italiana desfilando pelo local. Os homens, como eu imaginei, quase quebravam o pescoço para olhar Alice e Rose, que usavam vestidos tão provocantes quanto o meu, com a diferença de que nelas ficava lindo.

- Bella, que bom que vocês chegaram! (Jess apareceu para falar comigo, alternando olhares em mim e em Edward)
- Oi Jess, você está bonita!

Edward deu uma risada que me fez olhá-lo sem entender, e quando ele me contou no ouvido, senti o sangue ferver em minhas veias, numa mistura de raiva e ciúmes. Aquele pensamento da Jess me deu uma vontade incontrolável de matá-la de inveja e eu não me segurei.

- Hum... me diz Jess, eu tenho ou não tenho o homem mais gostoso de Forks? (apertei com força a bunda do MEU Edward)
- É, bem... vocês querem ponche? Eu vou pegar pra mim! Já volto.

Sorri me sentindo vitoriosa e fui dançar com Edward, que me puxava para a pista. Ele passou a mão pela minha cintura, me colando ao seu corpo e eu envolvi seu pescoço com meus braços. Nós deslizávamos delicadamente pela pista de dança, como seus irmãos também faziam, mas é claro que eu estava em cima de seus pés.

- Você está super sexy, sabia? (mordi meus lábios enquanto cantava ele)
- Hum, eu precisava me igualar a você hoje, né?
- Haha, você é cômico Edward, só pode. Mas enfim, o nosso acordo de hoje está de pé, né?

Ele sorriu seu sorriso torto, afastou lentamente meus cabelos e beijou meu pescoço...

- Sim, está. A não ser que você queira desistir.

Qualquer simples toque de Edward em meu corpo já era o suficiente para me fazer hiperventilar. Eu colei minha boca em seu ouvido...

- Acho que devo te avisar que não estou usando nada por baixo desse vestido...

Edward me olhou de um jeito deliciosamente agressivo, e eu já sentia um certo volume me tocando. Para minha surpresa, ele parou de dançar, me virou de costas para ele, me puxando de encontro àquela coisa dura. Eu esperava que ele tivesse consciência de que estávamos chamando a atenção de algumas pessoas, parados ali no meio da pista de dança, nos espremendo um no outro.

- Vem comigo Bella... agora!

Nós saímos do salão, com Edward me puxando pela mão, enquanto éramos seguidos por alguns olhares curiosos. Pude notar o Emmet e a Alice rindo em nossa direção, pois provavelmente a Alice já tinha visto o futuro e espalhado pra família Cullen inteira que eu ia dar para o Edward no... peraí, ande nós íamos?

- Edward, pra onde estamos indo?
- Ainda não sei Bells, mas para algum lugar vazio. (ele tinha tanta pressa que nem parava pra me olhar enquanto respondia)

Na mesma hora em que passávamos por uma sala de aula, ele me puxou pra dentro dela, trancando a porta atrás dele. Ironicamente, era a sala de aula em que nos conhecemos... era a sala de biologia! Edward me pegou no colo com um dos braços, me levando para a nossa mesa, jogando furiosamente no chão um microscópio que tava ali em cima. Me colocou sentada na mesa, passou minhas pernas em volta dele e começou a me beijar loucamente, enquanto alcançava o final do meu vestido. Eu precisei pará-lo, empurrando minha mão no seu peito.

- Edward, não. Você está tomando as rédeas de novo. Essa é a minha vez!
- Ai Bells, isso não é hora para ver quem ganha.
- Eu não vou deixar você me enrolar, essa é a minha vez! (fiz birra cruzando os braços e fechando a cara) É pegar ou largar...
- Você é teimosa, sabia? (ele ria cinicamente) Ok, vou deixar nas suas mãos... faça o que quiser!

Ele puxou uma cadeira e sentou, fazendo cara de criança contrariada. Eu tinha vencido a partida, nem acreditei e por um momento a ficha caiu. O que eu estava pensando? Eu nem sabia por onde começar! E se eu fizesse errado? E se ele odiasse? Imagina se eu o mordo sem querer? Dizem que dói. Os pensamentos começaram a se embaralhar na minha cabeça e eu agradeci por ele não poder me ouvií-los.

- Bella, seria bom se fosse ainda hoje. (ele zombou de mim, rindo, passando a mão pelos cabelos)

Ah, que se dane... ele era irresistível! Nem pensei. Ajoelhei na frente dele, puxei o paletó e começei a desafivelar o seu cinto. Me enrolei no botão da calça, mas ele resolveu me ajudar depois de rir da minha incrível habilidade. Puxei sua calça até os joelhos, observando seu membro quase explodindo dentro da cueca boxer dele.
Coloquei Bella sobre meus pés e trouxe ela para junto do meu corpo, enquanto começava a deslizar pela pista. Era engraçado a forma como ela me olhava e me chamava de sexy. Eu começava a me sentir um aperitivo quando ela emendou me perguntando se nosso acordo estava de pé. Parecia que Bella estava realmente disposta a me atacar. Isso tudo me divertia, e eu aprovetei para provocá-la ainda mais. Com a intensa vontade dela em se tornar vampira, eu sabia que ela se excitava loucamente quando a beijava no pescoço.

- Acho que devo te avisar que não estou usando nada por baixo desse vestido...

Aquilo soou como uma bomba. Meu instinto de caçador se aflorou e num segundo Bella se tornou uma caça deliciosa. Virei-a de costas para mim, deixando meu membro roçar sua bunda propositalmente. Desejei que todas aquelas pessoas nos olhando ficassem momentaneamente cegas, mas isso não seria possível. Achei melhor então sairmos dali o mais rápido possível antes que eu começasse a agarrá-la em público.

- Vem comigo Bella... agora!

Puxei-a pelo salão, tentando ignorar os pensamentos sacanas dos meus irmãos, que se divertiam às nossas custas. Alice já sabia o que aconteceria, logicamente, até Esme saberia amanhã. Bella me perguntava para onde íamos, mas nem eu sabia ainda. Foi quando notei que estávamos no corredor da nossa sala de biologia, e nada mais lógico e conveniente, de que este fosse o nosso esconderijo. Entramos na sala e eu procurei trancar a porta o mais rápido possível. Avistei nossa mesa, levando Bella no colo até lá. Tinha um maldito microscópio em cima da mesa que eu nem pensei duas vezes antes de jogar no chão... só queria sentá-la ali e possuí-la urgentemente. Uma mão no meu peito me fez parar. Bella estava louca?

- Edward, não. Você está tomando as rédeas de novo. Essa é a minha vez!
- Ai Bells, isso não é hora para ver quem ganha.

Eu não acreditava que ela estava falando sério. Por que mulheres adoram complicar tudo? Eu não queria que ela fizesse algo que a deixasse envergonhada depois, e conhecendo-a como eu conhecia, era provável que isso acontecesse. Mas pelo visto ela estava irredutível, não tinha jeito. Achei melhor ceder. Sentei e fiquei tentando imaginar o que se passava naquela mente. Ela parecia estar concentrada num tipo de discussão interna, parecia até que tinha me esquecido ali...

- Bella, seria bom se fosse ainda hoje.

Acho que funcionou, porque ela se ajoelhou em um segundo, arracando meu paletó, meu cinto, puxando minha calça, me deixando de cueca. Meu Deus, eu estava agonizando de tanto tesão. Eu estava tão duro que talvez fosse capaz de furar uma parede com meu membro. Bella encarava-o dentro da cueca, mordendo os lábios, e a hipótese de tê-la ali, me chupando, era excitante demais.

- Bella, por favor... você está me matando lentamente. Se não quiser que eu entre em combustão, tome uma providência... (eu gemi pra ela, quase implorando)

Ela me olhou com um sorriso doce e tímido, colocando o cabelo para trás da orelha e voltou a encará-lo novamente. Eu deixei minha cabeça cair pra trás, só esperando pelo momento. Ela abaixou devagar minha cueca e eu pude sentir meu membro ser libertado, ficando a mercê dela.
Ela deu um selinho bem na pontinha e eu não resisti. Tive que levantar a cabeça para admirá-la. Bella então começou a passar a língua levemente em volta da cabeça, intercalando com beijos.

Ela aos poucos ia perdendo a timidez, e começava a lamber da cabeça até as bolas. Eu tremia cada vez que sentia sua língua passando pela minha glande. Quando ela o colocou todo na boca, naquela boca quente, tão diferente de mim, eu gemi, falando algum palavrão que nem eu entendi muito bem, e apertei sem querer a perna da mesa ao lado, quebrando-a em alguns milhares de pedaços. Bella me chupava com maestria, subia e descia a boca, fazendo leves sucções, enquanto eu não tinha condições nem de me mexer. Ela não me olhava. Eu começei a encorajá-la com palavras carinhosas, mas ela ria e corava rapidamente, e isso me deixava mais maluco ainda. Eu não conseguia mais ficar parado, e estocava em sua boca de vez em quando, parando quando ela fazia menção de engasgar. Então Bells começou uma sincronia arrepiante, ela me chupava, engolindo até o talo e vinha brincar com a língua em minha glande, lambia toda a extensão como se fosse picolé, voltava a me engolir, e depois vinha com a língua... Eu não aguentava mais, ia gozar.

Levantei o mais rápido que pude, joguei Bella em cima da mesa, sem poder perder tempo, rasguei de qualquer jeito aquele vestido, puxei ela pelas pernas até a beira da mesa e a penetrei até o fim, numa estocada só. Ela gemeu, apertando minhas mãos, me pedindo velocidade. Começei a bombar rápido nela, enquanto acariciava-lhe os seios, brincando com seus biquinhos duros. Ela gemia, contorcia, chamava meu nome ofegante. Ela era linda de se ver. Seu pequenino corpo, perfeito, rebolava ali para mim. Eu puxava-a pelos quadris com força, agradecendo pela música lá fora estar alta o suficiente para meus irmãos não serem capazes de escutar o barulho. Desci a mão para esfregar seu grelinho, aproveitando a posição, enquanto bombava sem diminuir o ritmo. Eu cheguei no meu limite. Explodi dentro dela com felicidade, e enquanto ela sentia meu gozo gelado, eu a pedia para gozar pra mim. Ela pressionava meu dedo contra seu clítoris e se apertava contra mim. Senti todos seus músculos se contraírem e relaxarem.

Puxei ela fazendo-a sentar na mesa, e a beijei com calma. Brincamos com nossas línguas e nos abraçamos.

- Edward, você acaba comigo... acho que vou emagrecer horrores assim.
- Então eu preciso te alimentar bem para compensar. Vamos voltar pra festa e te arranjar algo pra comer?
- Isso seria ótimo, Edward! Se você não tivesse acabado com meu vestido. (ela revirou os olhos lindamente)

É, no chão ali ao lado, jazia um belo vestido preto... em pedaços.

- Desculpe Bells, não deu tempo de ser delicado.

Ela me abraçou e passou suas pernas em volta de mim, apertando minha bunda.

- Eu não me importo com o vestido. Me leve pra casa no colo... daquele seu jeito!

Eu a vesti com meu paletó, e corri com ela no colo até sua casa. Fiquei vendo-a dormir, como um anjo, o maior presente da minha vida. Por ela eu fazia qualquer coisa, estava certo disso. Mal podia esperar pelo nosso casamento, daqui há 1 semana. Principalmente pela lua-de-mel... mas isso... bem, é outra história!


Finalmente eu estava para fazer isso. O membro do Edward parecia querer rasgar a cueca, grosso, duro... Ele então me tirou do transe em que eu estava, me fazendo perceber que o coitado estava ali sofrendo, enquanto eu admirava seus dotes físicos. Sorri para ele, morrendo de vergonha, e começei a tirar a cueca. Aquele mastro ereto pulou para mim, parecendo me olhar. Começei dando um selinho bem na ponta, para ver como era. Odiei quando vi que Edward estava me observando, ele parecia gostar de ver. Tomei coragem e lambi devagar a cabeçinha, e de vem em quando beijava.

Acho que já não me restava mais vergonha, ou então a vontade de saciá-lo era grande demais. Começei a lambê-lo todo, podia sentí-lo tremer quando me concentrava em cima. Resolvi de uma vez por todas, chupar com vontade, e engoli tudo, descendo, subindo, mexendo minha língua por toda a extensão. Bem, devia estar bom, pois uma mesa teve sua perna destroçada...
Ele parecia ficar louco quando eu lambia bem na cabeçinha, e eu tinha ele ali, domado, gemendo pra mim. Ele se empolgou e começou a dar estocadas na minha boca msm, como se estivesse me penetrando. Aquilo me fazia engasgar, mas eu deixava, e começei a aumentar o ritmo das chupadas, engolindo tudo, depois lambendo, engolindo.

Me assustei quando Edward deu um pulo da cadeira e me jogou em cima da mesa antes que eu pudesse piscar. Ele arrancou violentamente meu vestido, me deixando nua, me puxou até ele e me penetrou totalmente, rápido e de uma só vez, me fazendo sentir seu membro passando por cada nervo meu. Eu fui ao céu e voltei, cravei as unhas nele pedindo mais, se tivesse mais, eu queria que entrasse mais. Ele ficou louco com aquilo, e começou a estocar tão rápido que me deu falta de ar. Eu estava entorpecida, delirando, chamando por ele, quando senti seu dedo gelado me tocando o clítoris enquanto me penetrava.

Quando senti Edward me enchendo com seu gozo gelado, apertei seu dedo em mim, e me deixei ir além. Esse orgasmo foi absurdamente maravilhoso.

Edward me colocou sentada de frente pra ele, nos beijamos apaixonadamente e ficamos um pouco abraçados. Eu estava certa de que era a mulher mais completa e realizada do mundo.

- Edward, você acaba comigo... acho que vou emagrecer horrores assim.
- Então eu preciso te alimentar bem para compensar. Vamos voltar pra festa e te arranjar algo pra comer?
- Isso seria ótimo, Edward! Se você não tivesse acabado com meu vestido.

Olhei para o chão, onde os farrapos de um vestido caríssimo se encontravam. Se eu contasse, ninguém acreditaria. Claro, só os Cullen.

- Desculpe Bells, não deu tempo de ser delicado.

Eu abraçei ele apertando aquela bundinha dura e gostosa. Eu tinha tesão 24 horas pelo Edward... era um fato!

- Eu não me importo com o vestido. Me leve pra casa no colo... daquele seu jeito!

Ele colocou seu paletó em mim e correu comigo no colo. Caí num sono profundo logo que deitei, e sonhei com nosso casamento, daqui há 1 semana. E nossas aventuras da lua-de-mel... mas isso... hahaha... só na outra história! 



<<< Capitulo 2                                                                       Capitulo 4 >>>

1 comentários :

bem melhor do que no livro UHASUHSAUSAHUHAS

12 de dezembro de 2010 15:18 comment-delete

Postar um comentário