AV - Capitulo 6

Ele ajudou-a a levantar, ainda trêmula.

- Ja-jacob... - Swan chorava olhando o corpo no chão.
- Ele não é exatamente o mesmo que você conhecia.
- Vocês... são uns... monstros! - ela cuspiu no rosto dele.

Edward limpou o cuspe friamente e voltou a andar na direção da saída para as escadas. Isabella foi relutante atrás dele.

- O que é? Estão transformando todos NISSO? - ela perguntou.

Ele continuou calado, como se ignorasse o que ela falava. Swan se irritava muito facilmente e chegou por trás dele, agarrando suas mãos e puxando-as para trás, na tentativa de imobilizá-lo.

- Eu poderia te matar agora, sabia? - ela sussurrava para ele.

Então em questão de frações de segundos, ele se soltou e voou com ela até a parede oposta, quase esmagando as costelas de Isabella no concreto duro. As lágrimas de dor escorreram de seus olhos enquanto o vampiro a sufocava com a mão.

- Eu já disse uma vez e vou repetir. Não encoste em mim. Estou começando a perder a paciência contigo! - ele rosnava com o rosto colado no dela.

Isabella levantou com dificuldade uma das mãos e segurou forte no cabelo dele, puxando-o mais para frente.

- Me mata logo então! - ela disse num fôlego só e o beijou na boca.


Música (Resident Evil - Marilyn Manson):

http://www.youtube.com/watch?v=xq4Gz2krPu8

Ele se esquivou e a olhou com raiva.

- Des-desculpa. - ela pediu.

Edward não respondeu e dessa vez foi ele quem beijou, imprensando-a mais ainda contra a parede. Suas mãos procuraram o fecho da calça de Swan e a puxaram para longe do corpo dela. Isabella ofegava no pescoço dele, agarrando seus cabelos.

- Dra... você vai se arrepender de ter encostado em mim. - ele rosnou enquanto mordia o pescoço dela.
- Ahhhh! - Isabella cravou as unhas nos ombros do vampiro, por cima da blusa.

Ela começou a levantar a camisa dele antes de perder os sentidos. Edward abaixava rápido sua própria calça, sugando o sangue dela como um animal devorava uma presa abatida.

- Anda... - ela pediu extasiada.

Ele levantou as pernas de Swan com força e enroscou-as no seu próprio corpo, puxando a calcinha para o lado e penetrando-a rápido e de uma vez só.

- Merda!

Isabella gritou enquanto suas costas batiam na parede e seu corpo quicava no dele. O sangue que o vampiro lhe chupava ardia suas entranhas ao sair pela ferida e seu membro parecia rasgar-lhe toda por dentro.

- Gosta disso, não é? - ele sussurrava agora no seu ouvido, estocando forte.
- Não... - ela recuperava o fôlego. - pare.

Ela achava diferente seu corpo batendo na frieza do dele, enquanto Edward gostava do suor de Swan escorrendo por sua pele. Ele passou um braço por debaixo da perna esquerda dela, abrindo-a mais ainda e bombando de forma curta e rápida. Ela gemia a raspava as unhas pelo peito dele, que lambia o sangue que escorria por seu pescoço.
Swan sentiu o calafrio percorrer sua espinha e seus músculos se contraírem fortemente. Edward tinha seu membro sendo comprimido pelo corpo de Isabella, que gemia sem parar devido ao orgasmo que estava tendo.

- Mas já? - ele continou os movimentos enquanto ela quase escorregava pelo seu corpo.
- Não... aguento... mais...

Ele diminuiu o ritmo, apoiando-a melhor em seus braços e agora tirava tudo para enfiar novamente, bem devagar. Swan tremia quando ele então gozou dentro dela.

- Agora sim. - o vampiro a soltou. - Estamos quites.

Ela deixou o seu corpo deslizar pela parede até quase sentar no chão, mas Edward a levantou antes disso.

- Não se suje! Eu posso querer usá-la mais tarde.
- Eu... te odeio.
- Não diga? - ele sorriu cínico e devolveu a calça dela. - Vista-se, estamos sem tempo.

O vampiro virou de costas, olhando para o corredor à procura de alguma coisa. Ele fechou os olhos como se farejasse o ar.

- Quanto tempo acha que temos até que o governo faça alguma coisa com o prédio?
- Algumas horas. - ela respondeu sem força.
- Seja mais exata.
- Umas... - Isabella massageou a testa. - Duas, três horas. No máximo.

Música (Marilyn Manson - The Fight Song):
http://www.youtube.com/watch?v=C64FBkb_gRg

Edward rosnou e seus olhos mudaram de cor, passaram de vermelhos para negros, totalmente. Isso assustou um pouco Isabella, pois ela sabia que os olhos só mudavam de cor, quando eles estavam muito raivosos.

- Eu falei... algo... errado?
- Não. Vamos! Rápido! - ele a puxou pelo braço e foi levando-a à força pelo corredor.
- Por que está tão apressado? Já estamos quase lá embaixo!
- Teremos companhia em breve.

Eles passaram pela última porta, em direção à escada, parando em seguida. Isabella podia ouvir sons estranhos vindo dos andares acima deles. E dos debaixo também.

- São vampiros?
- Podemos dizer quem sim. - ele sorriu.
- Meu Deus... vocês... eles...
- Sim, os cordeirinhos viraram leões. - ele olhou nos olhos dela, fazendo-a tremer. - Será que dá para não sair correndo atrás do próximo loiro que encontrar?
- Ele era meu amigo.
- Você escolhe mal então.

Eles voltaram a descer, com o som das vozes estranhas aumentando a medida que eles se aproximavam do próximo andar.

Música (Marilyn Manson - Seizure of Power):
http://www.youtube.com/watch?v=rB3oSJc-fvY

Quando eles se aproximaram da porta de entrada para o próximo andar, Edward fez Swan parar e tampou a sua boca. Ela franziu a testa sem entender e ele sussurrou no ouvido dela.

- Não respire.

Ele segurou-a pela cintura e desceu os últimos degraus com ela no colo. Sua intenção era de que nenhum vampiro que estivesse por trás daquela porta, sentisse a presença deles passando por ali.

- ATCHIM!

Foi o som que saiu da boca de Isabella quando ela não conseguiu mais segurar o espirro. Um rosnado veio lá de dentro e Edward a soltou, trazendo-a para trás de seu corpo.

- Por que você nunca faz nada certo?
- Desculpa.

Um vampiro elegante, apenas com sangue no canto da boca, abriu a porta e sorriu para eles.

- Ora, ora. Estávamos te procurando, amigo.
- Andrew, só quero passar.
- Ela fica?
- Não, vai comigo.
- Acho que não...

Ele alisou o canto da boca com a unha, limpando o sangue e assobiando. Mais dois chegaram por trás dele. Angel e Bill.

Música (Scenotaph (DJA Infected Remix) - Emanuel):
http://www.youtube.com/watch?v=5CGZb-asIvE

Edward andou para trás, encostando Swan na parede. Ela segurou forte na cintura dele, por reflexo.

- Ela é fraca, não interessa para o exército.
- Mas nos interessa para outras coisas. - Angel se aproximou rindo, inclinando a cabeça de lado para olhar Swan diretamente.
- Ok, se fazem tanta questão....

Edward deu um passo à frente e num movimento muito rápido, pegou Isabella pela cintura e jogou-a em cima de Angel, que não esperava por isso. No segundo seguinte ele estava se atracando com Andrew.

- Edward!

Isabella ficou tonta ao bater com força no corpo do vampiro mais alto de todos, que a segurou forte pelos dois braços. Edward tinha os dentes cravados em Andrew, que lhe desferia golpes nas costelas.

- Enquanto eles brigam, vamos dividí-la, Angel? - Bill sorriu cínico para Isabella.
- Dividir? Não divido comida, desculpe.

Angel respondeu sério e Bill rosnou. Os dois se atracaram, rolando no chão aos pés de Swan, que ficou paralisada olhando as brigas. Ela teve vontade de ajudar Edward, e correu para cima de Andrew, que lhe deu um tapa na cara e a fez voar longe, caindo 4 degraus abaixo. O vampiro 6 rosnou alto quando a viu machucada e arranhou as unhas no rosto de Andrew, que gemeu e abocanhou o ombro do inimigo.
Angel e Bill brigavam tão feio, que já estavam há 1 lance de escada acima deles, mas a briga de Edward e Andrew continuava, sem saber quem ganharia. Isabella levantou devagar, evitando chorar para não desconcentrar o vampiro 6, que num movimento mais rápido que um piscar de olhos, ele imobilizou Andrew e arrancou seu pescoço.

Música (One Love (Extinction Remix) - Aiden Vs. The Legion Of Doom):
http://www.youtube.com/watch?v=hJoP-UHQgBw

- Deus! - Swan gritou em desespero.
- O que ele tem com isso? - Edward soltou o corpo do outro e desceu ao encontro dela.

O vampiro passou um braço pela cintura dela e a apoiou. Ele olhou para as feridas nos braços e pernas dela e arrancou uns pedaços da sua blusa.

- Tente estancar esse sangue. Além de me fazer sentir fome, vai avisar a qualquer um que nós estamos chegando. - ele deu uns pedaços para ela e pegou outro, passando em volta do cotovelo de Swan e dando um nó.
- Ag-agora são só 5, né?
- Na verdade, são 4. Acho que eu não conto. - ele lançou um olhar frio para ela. Seus olhos ainda negros, mudaram então de cor, voltando lentamento ao vermelho vivo. Edward encostou uma mão na nuca de Isabella e a puxou, beijando sua boca devagar.

Ela notou que ele sangrava no ombro, com uma ferida em forma de lua. Swan passou a mão por cima e ele gemeu baixo, parando de beijá-la.

- Sente dor?
- De mordidas, sim.
- Como vamos fazer? Você vai acabar morrendo se...tivermos que passar por todos eles. - ela falou baixo, olhando-o nos olhos.
- Qualquer um de nós dois pode morrer aqui. - ele falou sério e virou para descer as escadas. - Não vamos esperar para ver quem será.
Isabella continuou andando com a ajuda de Edward, que quase a carregava no colo. Eles estavam se aproximando do 2º andar quando Swan foi na direção da porta de entrada.

- Onde vai?
- Eu preciso... de água...
- Agora? - Edward olhou-a sério e fechou os olhos, balançando a cabeça. - Tem vampiros lá dentro.

Isabella se soltou dele e encostou na parede, quase desmaiando.

- Eu não estou me sentindo bem... - ela falava pálida.
- Certo. Droga!

O vampiro 6 pegou-a pelo braço e entrou no andar olhando para os lados. Ele sussurrou no ouvido dela.

- Onde tem água?
- Eu... não sei. Entre ali, naquela sala! - Swan apontou para uma porta de escritório e ele se encaminhou até lá.
- Seja rápida!

Ela entrou na sala e viu um bebedouro no canto esquerdo. Edward ficou do lado de fora protegendo o território.

- Anda, Swan! - ele rosnou para ela, olhando para dentro da sala. Edward então fechou os olhos e quando os abriu, eles estavam negros.
- O que foi? - ela perguntou nervosa enquanto bebia a água.
- Problemas. - ele voltou o rosto para fora da sala e ficou em posição de ataque.

Música (Metallica Ride The Lightning):
http://www.youtube.com/watch?v=uebInqG1pJI

Ela saiu rápido da sala com o copo na mão e Edward a rodou no ar, tirando-a das garras do vampiro que correu até eles.

- Meu Deus! - ela gritou quando se viu no ar, passando por cima da cabeça do tal vampiro.

Edward chutou-o e largou Swan atrás de seu corpo, lutando com o outro. Mais dois chegaram correndo até eles e o vampiro 6 precisou colocar suas garras à mostra, brigando com 3 vampiros ao mesmo tempo.

- Swan, sabe usar os pés?
- Hã?

Ele não esperou a resposta dela. Edward pegou-a de novo pela cintura e rodou-a em direção a um deles. Na hora, Isabella entendeu o que ele queria fazer e chutou forte o rosto do vampiro recém-nascido, que cambaleou.

- Obrigado!

Ele a colocou de volta no chão e voou em cima do que apanhou, cravando os dentes na sua jugular e puxando pedaços com a boca. Um dos vampiros o atacou por trás, mordendo suas costas.

- Saco!

Vampiro 6 levou uma mão parta trás e cortou o pescoço do outro de ponta a ponta com a unha. O corpo desfaleceu ali mesmo enquanto Edward terminava de arrancar pedaços do seu oponente.

- Cuidado! - Isabella gritou quando o último vampiro que sobrara chegava pela lateral de Edward.

Ele virou-se e curvou-se batendo de cabeça no outro. Os dois se atracaram e voaram até o teto.

- Edward!
- Cala. A porra. Da boca!

Ele apertou o pescoço do inimigo e os dois caíram no chão, Edward ficando por cima e enfiando com força uma mão dentro do peito do outro, matando-o.

- Odeio recém-nascidos! - ele falou com raiva, levantando do chão e pegando Swan pelo braço, com sangue nas mãos.
Quando eles voltaram para a escada ela parou um pouco para tomar fôlego.

- Ok, quantos vampiros nós vamos ter que enfrentar ainda?
- Quantos eles tiverem transformados.
- Você falou... - ela franziu a testa. - De recém-nascidos?
- São os recém-transformados. Apesar de serem muito fortes, não possuem nenhuma noção de luta. Muito menos da força que têm. - ele sorriu maldoso. - Só querem sangue.

Eu em determinado momento, o prédio se apagou. As luzes vermelhas já não piscavam mais e o barulho de alarme soando, cessou.

- O que houve? - Edward perguntou, puxando Isabella.
- Chegaram. - ela falou num sopro, de olhos fechados. - Eles chegaram.
- Eles quem?

Swan se soltou das mãos dele e sentou num degrau.

- Os responsáveis por qualquer coisa que aconteça com esse prédio. - ela levantou o rosto para tentar olhá-lo, apesar da escuridão. - Não sei mais se vamos sair daqui. Era isso que eu temia.

Edward rosnou e puxou-a, levantando Swan no ar para ficar cara a cara com ela. Apesar do escuro que evitava que ela o enxergasse, Isabella pôde sentir o hálito frio dele na direção do seu rosto.

- Por que diz isso? Há algo que eu não saiba?
- Edward, o alerta vermelho é o último alarme a ser disparado. Se ele dispara, é porque aconteceu algo que não tem mais solução. E as ordens nesse caso, é de isolação e eliminação total do prédio.

Música (White Rabbit (SPC Eco Mix) - Collide):
http://www.youtube.com/watch?v=3uGetlt8TWM

Edward rosnou no rosto de Isabella e colocou-a de volta no chão.

- Por que você não me avisou? Eu não teria parado para as suas futilidades!
- Me comer também foi futilidade? - ela berrou que sua voz ecoou nas escadas. - Você nunca perguntou!

Ela não o via direito, apesar dele enxergá-la perfeitamente. Edward voltou a descer, puxando a mão de Isabella.

- O que pretende fazer? - ela perguntou sem saber para onde olhava.
- Sair vivo. - ele abafou um riso. - Não que eu ainda esteja vivo, mas você entendeu.
- Edward, eles já estão lá fora, não adianta mais!
- Desculpe Dra... mas vamos ter que nos apressar então.

Ele terminou de falar e jogou-a nas costas, descendo as escadas na sua velocidade dessa vez.

- Eu vou cair! - ela gritou, segurando-se no quadril dele.
- Não vai não.

O vampiro 6 chegou no térreo em questão de segundos. As portas de saída do prédio encontravam-se lacradas e haviam vários corpos mutilados ali no saguão de entrada. Ele a colocou no chão devagar e virou-a na direçao dele.

- Há alguma outra saída? Estacionamento, talvez?
- Edward, já disse que está tudo lacrado.
- Algo que não seja de aço?

Swan pensou por um tempo e lembrou do túnel que estava sendo construído no subsolo, para no futuro passar um trem da organização ali.

- Bem... talvez, tenha um lugar.
Isabella e Edward passaram pelo salão enorme da recepção do prédio e ela o guiou até uma porta que tinha apenas escadas para baixo.

- Isso sai lá?
- Até onde eu sei, sim. Mas... eu nunca vim aqui.
- E como sabe que essa saída existe? - ele falou rosnando próximo ao rosto dela.
- Todos aqui sabem.

Ele fechou os olhos para tentar ouvir algo, ou sentir, e puxou-a pelo braço.

- É isso ou nada.

Os dois desceram as escadas e Swan sentiu que ele segurava seu braço de uma maneira diferente, não tão bruta como antes. Ela o olhou por alguns segundos, observando-o, mas ele não notou. Eles chegaram então numa sala ampla, sem paredes, com um túnel gigante à frente e trilhos no chão.

- Existe mesmo, viu?

Isabella ficou parada olhando para aquela construção monumental. Ela não achava que era nada tão imenso daquele jeito.
Ele foi na direção do túnel e ela o puxou pela mão.

- Eu... - Swan perdeu a voz.
- O que?
- Queria te agradecer... - ela mordeu os lábios. - Por ter salvado minha vida.

O vampiro 6 a olhou sério e a cor dos seus olhos oscilou do preto para o vermelho.

- Deixe para me agradecer depois que sairmos. - ele estreitou os olhos na direção do túnel. - Pois ainda temos um longo caminho pela frente.
- Eu sei. Só queria que... você soubesse.

Ela o olhou diretamente nos olhos e Edward segurou sua nuca, puxando seu rosto para beijar sua boca. As mãos dos dois percorreram rápido o corpo do parceiro, levantando as respectivas blusas. Ele olhou em volta e a pegou no colo segurando em sua bunda, para levá-la até uma mesa no canto do salão. Edward a deitou ali e terminou de tirar a roupa de Isabella, deitando sobre ela.

- Você aguenta? De novo? - ele perguntou preocupado e ela riu.
- Vou fingir não ter ouvido isso.

Swan puxou-o pelo pescoço e invadiu a boca do vampiro com uma língua urgente.
Ele desceu pelo queixo dela, circulando-o com a língua e chegou aos seios descobertos. O vampiro 6 pôde se concentrar mais ali do que da primeira vez e abocanhou um de cada vez, chupando-os e lambendo os mamilos.

- CÉUS!

Isabella gritou e jogou os braços para trás, se segurando na dobra da mesa. Ele manteve a boca ocupada enquanto desceu a mão e invadiu seu sexo molhado com o dedo. Edward colocou devagar e depois mexeu, para então colocar o 2º dedo.

- OMG! OMG!

Ele mexia rápido enquanto tomava conta dos seios dela, que gemia e perdia o ritmo da respiração.

- Acho que já está... - ele retirou os dedos e lambeu. - Temperada para mim.

O vampiro 6 penetrou-a rápido, de uma vez só e estocou lentamente, tirando e colocando tudo novamente. Swan agarrou suas costas, tentando arranhá-lo. Ele porém, não sentia dor e continuou, sempre rebolando.

- Mais... forte.

Ele aumentou o ritmo e a força, fazendo o corpo delicado de Isabella quicar na mesa. Ela tremeu, contraindo os músculos do corpo todo enquanto ele chegava junto ao orgasmo. Edward deitou seu peso sobre ela e esperou até que os músculos da humana estivessem totalmente relaxados.
Edward e Isabella permaneceram por uns minutos calados a abraçados, corpos grudados depois de terem chegado ao êxtase. Mas ele ouvia melhor que ela e sentia o perigo chegando.

- Vista-se. - o vampiro 6 ordenou enquanto saía de cima dela.
- O que foi?
- Vamos ter visita em alguns segundos. - ele já estava em posição de defesa quando Isabella levantava da mesa.

Ela estava arrepiada com a reação dele, que parecia bem irritado e ansioso. A mesma porta por onde eles entraram, abriu e por ela passou um outro vampiro, que Swan conhecia bem.

- OMG, Lestat. - ela balbuciou as palavras, correndo na direção de Edward e parando atrás dele.
- Vejo que lembra de mim, doutora! - Lestat se aproximou, com sarcasmo no olhar e parou de frente para eles, matendo um pouco de distância. - Olá, Edward, tudo bem?
- Fique fora do nosso caminho, que nós ficaremos fora do seu.
- Claro! E perder a oportunidade de... prová-la? - ele deu dois passos à frente, fazendo Edward dar dois para trás com Isabella.
- Estou falando sério, Lestat.
- Edward... Edward... - ele sorriu cínico. - Para você não tê-la matado ainda, é porque o negócio é bom. Acha mesmo que vou desperdiçar?

Música (So Many People - Neurosonic):
http://www.youtube.com/watch?v=WRkBx1nuhlw

Edward levou as mãos para trás, tocando o quadril de Isabella e afastando-a dele.

- Mantenha-se longe.

Ela andou de costas até de volta a mesa, torcendo para que não houvesse luta, pois ela não sabe se aguentaria ver seu herói levando a pior. E ela sabia, que Lestat, era o pior deles.

- O que é isso? Terei que passar por cima de você, Edward? - o vampiro perguntou, passando a unha pelo lábio inferior enquanto olhava sedento para Swan.

Edward rosnou e olhou para Swan uma última vez, antes de estalar os ossos do pescoço. Lestat fez o mesmo, mas com os das mãos. Ali dentro, já ouvia-se o barulho que vinha lá de fora e Isabella ficou preocupada.

- Edward!

Ela gritou, mas ele não deu atenção. Os dois vampiros agora mostravam os caninos um para o outro e tinham os olhos brilhando, por luxúria, por desejo, por sede, por sobrevivência. Ouviu-se o o barulho estrondoso dos corpos se chocando no ar, quando um voou na direção do outro.

- Você não sai vivo daqui, Edward! - Lestat gritou enquanto cravava as unhas na clavícula do vampiro 6.
Ele urrou, jogando a cabeça para trás e o coração de Swan acelerou energicamente. Os dois caíram no chão, o que deu uma certa vantagem a Edward, que travou o pescoço de Lestat com o joelho. O punho fechado do vampiro 6 acertou o outro várias vzes seguidas, até que esse se soltou e eles voltaram a ficar de pé.

- Sai! - Edward gritou para Isabella, quando ele viu que eles iam na direção daquela mesa.

Ela correu para o lado antes que os corpos se chocam-se ali. Edward conseguiu morder o pescoço de Lestat e puxou, trazendo um pedaço junto com os dentes. Swan se apavorou quando viu o sangue do vampiro escorrer. Edward o levantou pelas costelas e o jogou contra a parede.

- Venha, vamos! - ele esticou a mão para ela, que a segurou e foi puxada em direção ao túnel.

Eles corriam pelos trilhos, e Isabella tentava não tropeçar e cair.

- Tira os sapatos, anda.
- Vou machucar meu pé!
- Céus! Mulheres!

Ele passou um braço por trás das pernas dela e o outro nos ombros, a pegando no colo. Swan olhou o vampiro 6 daquele jeito irritado e segurou seu rosto com as duas mãos, enquanto ele corria com ela.

- Obrigada.
- Me agradeça lá fora. De preferência, dando para mim.

Ele sorriu e pela primeira vez ela via um sorriso puro, sem sarcasmo nenhum.
Quando estava já na metade do túnel, Edward parou rápido e olhou para trás, porém, tarde demais. Lestat já estava em cima deles, empurrando-os.

- Não! - o vampiro 6 tentou segurar Isabella, mas o choque foi grande demais e ela caiu de seus braços, rolando pelos trilhos e ficando por lá.
- O que foi? Achou que tivesse me matado, Edward? Com uma mordia? Vamos... você pode fazer coisa melhor...

Lestat agarrou-o pelo pescoço e jogou Edward na outra parede do túnel, rachando o concreto. Eles se atracaram novamente, com mais pedaços sendo arrancados. Quando Swan abriu os olhos tentando ignorar a dor que estava sentindo, ela viu luzes vindo lá do final do túnel.

- Edward!

Nenhum dos dois a ouvia. O seu coração parou quando os homens de preto e encapuzados os alcançaram, jogando granadas de gás pelo chão e usando as armas de choque nos vampiros. Era a única coisa que os afetava.

- Prenda-os! Pegue a garota também!

Ela viu os dois vampiros serem algemados com barras de aço, impossíveis de serem quebradas e levarem mais choques. Mais choques. Um atrás do outro, até seus corpos perderem a força.

- Não! Deixe-o ir!

Isabella sentiu ser agarrada pela cintura e levantada do chão. Mas ela não queria lutar, ela só tinha olhos para Edward, que agora era vendado com um capuz na cabeça e arrastado pelo túnel.

- Vocês não entendem! Ele me salvou!
- Ela vai ter que ficar em observação. Não sabemos se foi mordida.
- Sim senhor!


Uma agulha a espetou e ela sentiu seus olhos pesarem, fechando lentamente. Antes de perder a consciência, ela jurou para si mesma, não descansar enquanto não encontrá-lo.

        

           <<< Capitulo 5      


CONTINUA... em Alerta Vermelho II 

1 comentários :

AAAH que MARA ! adorei

6 de dezembro de 2010 22:17 comment-delete

Postar um comentário