ALDE - Capitulo 1

Edward tinha uma habilidade incomum com os números, desde os três anos seus pais sabiam que a inteligência rara do filho merecia uma atenção especial. Edward somava todos os números que via, era mais forte do que ele, quando via já havia somado. Além disso, sentia dificuldade em se relacionar, era sempre dito como o insensível, o estranho, o anti-social.

Seus pais procuraram especialistas que logo indicaram: síndrome de Asperger, popularmente conhecida como síndrome do gênio. Mais efetivo em homens.

Chegou ao colegial sem amigos, odiava mudanças na sua rotina e era irritantemente organizada. Possuía um quadro negro em casa onde destrinchava formulas e números. Seus pais se preocupavam em dar atenção ao filho, que às vezes nem notava a presença deles mesmo estando no mesmo recinto.

E assim Edward chegou ao ápice de sua juventude: a faculdade. Queria fazer astronomia, pois tinha um fascínio imenso pelos astros, às vezes subia no telhado de sua casa com seu telescópio e nomeava cada estrela, era sua diversão. Seus pais ficaram preocupados porque Edward queria morar longe deles, nunca tiraram seus olhos dele, aquela seria uma experiência única e ao mesmo tempo perigosa.

Demoraram um pouco para se conformarem, mas deixaram - no ir, o encheram de recomendações. Consultaram especialistas no assunto e seu terapeuta ocupacional.

Edward estudaria na universidade de Cornell, universidade de prestigio na sua área de interesse: tecnologia, e física espacial.

Cornell ficava em Ithaca (NY) o que deixava Carlisle e Esme mais tranqüilos, pois podiam visitar a filha assim que quisessem. Carlisle era dono de um escritório de advocacia, mudou literalmente seu escritório para casa para poder acompanhar o comportamento de Edward,e Esme era arquiteta,sacrificava-se o máximo para estar perto do seu querido filho.

Edward se inscreveu sem os pais saberem, foi aceito em Havard, Dartmouth e Yale, sem falar em Cambridge, devido a sua inteligência na área de exatas.

Admirou o verde e a liberdade da cidade. Ele se sentia livre apesar de estar morrendo de medo. O bom era que ninguém o conhecia, não podia fugir de sua compulsividade, já havia aprendido a conviver com ela, talvez aqui ele não fosse só mais um estranho, talvez fosse visto como um garoto simples e discreto, só isso. De certa forma se sentia feliz.

A cidade não estava totalmente cheia, faltava dois dias para começar as aulas, mas Edward precisava se adaptar ao lugar, por causa da sua patologia não gostava muito de mudar a sua rotina.

Para a felicidade de seus pais, Alice a irmã mais velha de Edward também estudava em Cornell e prometeu ficar de olho no irmão, por mais que ele insistisse que não precisava. Alice era popular na faculdade cursava economia lá. Ela e Edward freqüentariam o mesmo prédio de aulas, ficaria mais fácil vigiar os passos do irmão.

- Pai, mãe fiquem tranqüilos. O Edward está sob meu olhar atento.- Garantiu Alice.

- Que lástima terrível. – Disse Edward olhando para as árvores atentamente.

Alice sorriu adorava poder conviver com o irmão.

- Vai ser divertido mano. – Disse ela carregando as bagagens dele.

Edward nem olhou para a mãe direito, pra ele tudo aquilo era sem importância só queria conhecer a faculdade que iria ser o palco dos acontecimentos futuros em sua vida.

Nova vida pensou Edward, essa frase o chocava e ao mesmo tempo o deixava eufórico.

Viu seus pais irem embora e se voltou à irmã.

Alice o puxou para um abraço apertado. Edward não gostava muito de contato físico.

- Me solta Alice!

- Não mesmo!

Edward grunhiu e então Alice o soltou.

- Então maninho pronto pra agitação? Você sabe que não precisa se preocupar comigo pode fazer o que quiser contanto que eu esteja de olho. Não quero que nada de mal te aconteça!

Edward coçou a cabeça e olhou em volta, se distraindo novamente, raramente olhava nos olhos das pessoas.

Alice si perguntou se ele se adaptaria a viver ali, mas apoiara o irmão na decisão de ir para faculdade, Edward precisava conviver com suas limitações, que não eram muitas, porém suficientes para dificultar suas relações interpessoais.

Edward tirou as malas da mão da irmã sem falar nada e as carregou até o prédio. O pai já havia levado a maioria da bagagem para o apartamento, então tinha poucas sacolas na mão.

- Você mora com alguém?

- Não, o papai e a mamãe alugaram o apartamento só pra mim lembra?

- Se eu lembrasse não perguntaria.

- Ok. – Disse Alice logo atrás dele, Alice já se acostumara com a hostilidade do irmão, já fazia parte dele afinal, mas se perguntava se as outras pessoas iriam entender, queria tanto poder apresentá-lo a seus amigos, sem ter preocupações, entretanto não tinha tanta certeza disso.

Girou a chave na porta e entrou, Edward ficou parada a porta a observando.

- Entra mano!Nossas vizinhas são meio loucas, então não se assuste elas só chegam amanhã, pois estavam na França.

- Interessante. São todas mulheres? – Perguntou preocupado, não se dava bem com o sexo oposto, no colégio era perseguido por algumas garotas que tentavam chamar sua atenção de qualquer forma ou se aproximavam para pedir favores, o deixando assustado.

- Não. Bella, Rose e Jasper. A Bella faz psicologia e digamos que ela tem muitos namorados e a Rose é a responsável estudiosa, e tem o Jasper também o irmão delas, ele é um tanto quanto estranho.

Edward respirou fundo, para ele Alice falava demais o deixando irritado, não dava para simplesmente só responder a pergunta?

- Onde é meu quarto?

- No fim do corredor. Está só esperando por você.

Seguiu para o quarto, onde havia várias caixas no chão.

Edward gostava de ficar cercado por seus objetos pessoais, era um modo de se sentir seguro e longe das pressões sociais que exigiam interações interpessoais.

Passaram horas organizando suas roupas minuciosamente, emparelhando os livros na estante e os CDs favoritos, os filmes e ligando todos os aparelhos eletrônicos desde computador até seu amado vídeo game. Quando terminou admirou sua obra prima,sorriu para si mesmo,poderia se adaptar ali facilmente,contanto que tudo estivesse como ele organizou.E alinhou o telescópio de ultima geração,seu tesouro particular.

Respirou fundo e olhou pela janela, a cidade de Ithaca era meio que diferente da capital, lá se podia dizer que existia ar puro.

Seu olhar fixou-se no carro prata que estacionara em frente à garagem do prédio. Viu quando uma loira bem vestida com o decote á mostra desceu do carro, uma garota da capital pensou ele balançando a cabeça, e viu a morena do banco do motorista saltar do carro, no exato momento em que ela desceu o vento soprou fazendo seus cabelos castanhos voarem. Edward admirou a bela garota, seus lábios destacados pelo batom carmim e os óculos escuros cobriam seus olhos, o deixando intrigado, ela era linda, talvez a mais linda que já vira em toda sua existência.

De repente o olhar da garota encontrou o seu fazendo-o tremer, ele fechou a janela e encostou-se na parede de súbito, aquele olhar lhe deixou aflito e intrigado. Fechou os olhos que só projetavam a imagem da garota e seus lábios carmim. Afastou-se o máximo possível da janela, não queria o manter contato visual novamente.

Alice bateu na porta duas vezes e não obtendo resposta entrou no quarto do irmão.

- Você está pálido Edward!O que houve?

Ele esfregou os olhos tentando afastar aquela imagem de sua mente.

- Nada! – Falou rápido demais.

Alice se aproximou do irmão encostando sua mão na testa suada dele.

- Eu estou bem!Não precisa me tratar como um bebê igual o papai e a mamãe. - Disse se afastando da irmã, indo para outro canto do quarto.

- Calma, eu só vim te perguntar se você está com fome.

Edward olhou para o relógio e em seguida para o estomago que roncava ferozmente.

- Sim estou.

- Então vou, eu fiz lasanha, na verdade eu só esquentei nas microondas.

Edward olhou para ela erguendo uma sobrancelha.

Sua fome o venceu e ele seguiu a irmã até a cozinha e sentou na cadeira em frente à dela.

Comeram em silêncio, Alice sabia o quanto o irmão odiava falar e conversar respeitava a vontade dele, o deixando com seus fantasmas internos.

A mente de Edward não parava, apesar de não se interar nem fazer muitas perguntas, observava cada pequeno movimento, era um bom observador, sua escolha profissional provava ainda mais.

- Você é da fraternidade?

Ele perguntou se servindo de mais lasanha, olhando para a sala.

- Não, prefiro me dedicar a meu curso, não tenho muito tempo pra esses eventos sociais.

- Até parece. – Edward disse bufando em seguida.

- É sério, irmãzinho, eu gosto de festas, mas não ao ponto de viver para elas.

- Uhum. – Foi o que Edward respondeu, concentrando-se no seu prato agora.

A campainha tocou duas vezes. Alice olhou para Edward e levantou para atender.

- Oi, Alice! – Era Bella, ela voltara de Nova York com a irmã Rosalie. Bella era uma das garotas mais ricas e famosas da faculdade, sua fama se estendia entre festas e salas de aula. Cursava psicologia em Cornell, apesar da sua fama era apenas uma garota sonhadora, idealista e impulsiva. Criava um mundo à parte às vezes pra fugir da sua realidade de menina rica e desejada.

- Hey Bella!Chegou cedo pensei que só viria amanhã. – Ela e Alice andavam juntas, apesar de divergirem de opiniões e brigarem algumas vezes por motivos banais, se gostavam. - Como foi em Saint Tropez?

- O de sempre. Baladas corriqueiras, bebedeiras e principalmente gatos.
Bella deu de ombros. Seus olhos correram para dentro do apartamento.

- Tem alguém aí com você? – Perguntou curiosa. Seus olhos brilhavam de curiosidade.

- É o meu irmão, ele acabou de chegar. - Disse Alice apreensiva, não sabia se apresentava ou não seu irmão para Bella.

Agora Bella sabia quem era o garoto de traços fortes que a olhava furtivamente pela janela, ficou intrigada com aquele olhar, era diferente de todos que ela vira, já sentiu todos os tipos de olhares, de cobiça, de inveja, de respeito, de desrespeito, de desejo, mas nunca aquele olhar. Tão próximo e ao mesmo tempo tão distante.Precisava ter algum contato físico ou visual com aquele homem que fugira tão rapidamente dela.

- Será que eu poderia conhecê-lo?

Nem teve chance de responder, Bella já tinha passado por ela e entrado na sala, seus olhos procuravam o garoto. Era comum entrarem na casa uma das outras sem serem convidadas afinal era vizinhas e amigas,mas com Edward ali não sabia como lidar com esse hábito.

Edward arregalou os olhos assustado ao ver a garota que se se encostara à porta da cozinha, queria fugir dali, seu constrangimento era evidente. Evitou o contato visual com Bella que ao contrario dele olhava-o de cima a baixo. Sentiu o rubor dominar seu rosto queimando suas bochechas, suas pernas tremiam.

- Oi, eu sou Isabella,mas pode me chamar de Bella – Ela disse suspirando,frustrou-se ao ver que o rapaz que por acaso era lindo, nem a olhara. Lindo mas metido pensou. A coloração de seus cabelos era estranha, porém admirável, seus olhos eram verdes e límpidos como se pequenas pedras fossem minuciosamente colocadas ali, seus traços fortes contrastavam entre a suavidade de um garoto e a intensidade de um homem.

Bella se aproximou bruscamente do garoto sorrindo timidamente para ele.

- Edward – Respondeu dando um passo para trás. Ele olhou de relance para a garota, ela agora não usara mais óculos escuros, mas seus lábios tinham a mesma intensidade, temeu olhar em seus olhos, mas teve a impressão ver de que cor eles eram, castanhos, realmente a achou encantadora, podia ser confundida com uma estrela plena e acedente no céu.

Ficou embaraçado ao perceber seu olhar constante para ele, sendo que nem a olhava para saber isso,bastava sentir.Toda sua vida foi assim,as garotas iam atrás dele na intenção de algo mais mas logo desistiam quando se debatiam com seu comportamento introvertido.Teve algumas paixões platônicas mas frustrou-se ao não obter sucesso.

- Você está gostando de Ithaca?

- Uhum. – Ele respondeu.

- Bella, você tem que me contar as novidades, comprou coisas novas?Ah, vem cá amiga!- Alice disse puxando Bella para a sala. Ela não tirou os olhos de Edward, que não agüentou e saiu correndo para o quarto.

Deitou na cama e fechou os olhos, a imagem da linda Isabella vinha a sua mente, grunhiu querendo que essas imagens esvaíssem,mas era impossível,aquela garota o fascinara de tal forma a qual nenhuma outra conseguiu.Virou-se como se esse movimento o fizesse esquecê-la,de nada adiantara,ele não podia se encantar com ela em tão pouco tempo.Voltou-se a janela e olhou para as estrelas recém emergidas no céu,elas sempre o distraiam e o seduziam com sua beleza assim como Bella o encantara por completo.
[...]

2 comentários :

OMG!
eu amei!
nossa... o Edward é meio chatinho aqui, mas é muito fofo! ^.^
ahhhhh.... quero o segundo capítulo! i.i
tbm sou apaixonada pelas estrelas! as acho fascinantes! ♥

8 de dezembro de 2010 21:08 comment-delete

adooooogo amo de verdade a fanfic

Anônimo
14 de março de 2014 00:33 comment-delete

Postar um comentário