ACLDP - Capítulo 1


Primeira lição


Deixei-o entrar em minha casa, andando sensualmente, deixando ele de olhos grudados em minha bunda. Sim, a mini-saia era tão mini que deixava o começo de minha bunda aparecendo.



- Então, qual será o estudo de hoje? – Eu disse, virando-me e tocando seu membro muito grande e excitado sobre a calça.



   Edward largou seu paletó no sofá e afrouxou a gravata, olhando-me com um sorriso cínico.



- Primeiro de tudo: Eu sou o seu professor. E você, como minha aluna, tem que fazer tudo o que eu mandar. - Ele falou, seus olhos pequenos e sua testa enrugada, tentando se concentrar. O problema é que ele intercalava olhares entre meus peitos e meus olhos.



- Certo. – Eu disse. Gemi de surpresa quando Edward enlaçou suas mãos em minha cintura e me puxou para si, com força.



- Segundo: Não se começa pelos “finalmente”. Você é uma virgenzinha ainda. Precisa aprender muitas coisas antes. - Ele sussurrou em meu ouvido, com sua voz rouca.



- Uhm... - Eu gemi, completamente perdida em sua explicação.



- Terceiro: Você não pode desistir jamais, Isabella. - Ele continuou, e em seguida ele mordeu olóbulo da minha orelha esquerda.



- Uhum... - Sussurrei, não conseguindo me concentrar.



- Boa menina. – Ele disse passando a mão na minha bunda.



- Ouh... – Eu murmurei com o toque da mão enorme e “bem treinada”.



- Sabe. Tudo começa com uma boa pegada. – Ele disse, com sua voz rouca, fazendo-me estremecer.



- Uma boa pegada... - Ele me prensou mais ainda contra seu peito forte - Deixa uma mulher de quatro... Uma boa pegada... - Ele deu um beijo em meu pescoço - Faz qualquer homem ficar a seus pés... Me diga menina, você já gozou alguma vez? - Ele perguntou, finalmente olhando-me nos olhos.



- Não... - Sussurrei, completamente perdida naquelas duas esmeraldas brilhantes.



- Você quer que eu te faça gozar? - Ele perguntou, mordendo os lábios.



- S-sim. – Eu falei. Em seguida, Edward agarrou meus cabelos com força puxando-os, fazendo meu rosto arquear para trás.



- Tenha convicção, minha vadia. – Ele disse se acoxando em mim.



- Sim, eu quero que você me faça gozar. – Eu disse, o mais firmemente que pude, completamente excitada.



- Boa, muito boa menina. – Ele disse dando-me dois tapinhas na bochecha. Minha calcinha estava num estado lastimável de tão molhada.



            Edward afastou-se de mim, e eu quase chorei.



- Sente-se no sofá. - Ele ordenou. Eu o fiz prontamente.



Edward se ajoelhou nos meus pés e puxou minha saia com violência, passando-a pelos meus pés. A essa altura eu já estava descalça.

           

Edward colocou uma mão em cada lado da minha calcinha, me olhou nos olhos e puxou as duas mãos, rasgando-a no meio. Eu gemi de surpresa.

Ele olhou meu sexo e passou a língua pelos lábios.



- Isso... Totalmente depilada... Como uma ninfetinha... – Ele disse com a voz rouca e máscula.



  Eu fiquei olhando aquele homem maravilhoso falando comigo, não conseguindo acreditar na minha sorte.



- Vejamos. – Ele disse passando a mão pela minha bucetinha. Eu estremeci com seu toque e quase reclamei quando ele tirou o dedo.



- Molhadinha. – Ele disse, colocando um dedo na boca, provando do meu gosto. - E apetitosa. – Ele completou.



Me encarreguei de abrir o zíper de sua calça, tirando-a e deixando-o só de cueca. Ele não fez objeção alguma.



            E que cueca! Uma boxer vermelha. O volume que seu membro fazia nela era algo absurdo. Eu estava deixando Edward Cullen completamente excitado. E isso me excitava mais que tudo.



- Tira essa blusinha, tira gostosa. – Ele disse puxando a minha blusa para o alto da minha cabeça.



            Bem, eu estava nua e a minha bucetinha piscava de tanta dor. Eu o queria dentro de mim. Eu queria dar muuuuito.



            Ele pegou nos meus peitinhos com as mãos fazendo massagem, me levando à delírios de prazer.



- Isso, ooh... - Gemi.



- Tão rosinhas. Você é tão gostosinha, Bella... - Ele disse, mexendo nos biquinhos de meus seios.



- Edward, me come! - Eu gritei, não aguentando aquela tortura.



- Ah, claro que eu vou te comer gostoso. Mas antes disso você vai implorar. Entendeu safada? – Ele deu um tapão na minha bunda, fazendo minha tara jorrar entre as minhas pernas.



- Entendi. - Respondi, automaticamente.



- Boa menina. – Ele disse me dando um beijo de língua.



              Sua língua abriu espaço pela minha boca, me penetrando quente e imponente. Ele vasculhou a minha boca inteira, enquanto encostava o seu corpo no meu. Meus peitinhos endureceram na hora quando entraram em contado com o seu peito másculo. Eu esfreguei minha bucetinha naquele pau duro sob a cueca e ele gemeu na minha boca, mordendo meu lábio inferior.



               Minhas pernas já iam perder a força de tanto tesão que eu estava. Ele parou de me beijar quando o ar nos faltou e disse:



- Está com muito tesão, Minha Vadiazinha?



- Estou... – Eu falei, minha voz num fio.



- Vem cá vem, senta no meu colo. – Ele se sentou no sofá e eu me sentei em cima dele.



                Bem em cima do seu pau, protegido apenas pelo pano da cueca.



- Agora rebola gostoso, vai. – Ele disse. Eu esfreguei o meu rabinho naquele pau grosso e Edward começou a gemer.



- Isso.... - Ele gemia.



- Isso gostosa, rebola vai. – Ele sussurrou contra minha pele, mordendo o meu pescoço.



                  Eu sentia minha tara molhando sua cueca, que agora já estava transparente de tão molhada.



                  Edward me puxou junto ao seu corpo, mordendo com força o meu ombro. Colocou a sua mão na minha bucetinha e disse:



- Você vai gozar como uma putinha. – Ele começou a massagear meu clitóris.



- Vou... – Eu disse estremecendo com o seu toque.



                  Meu professor colocou uma mão nos meus petinhos, massageando em círculos e com a outra habilmente ele mexia na minha grutinha molhada.



- Edward... - Gemi, baixinho.



- Professor Cullen. - Ele me corrigiu.



                  Uma sensação de formigamento percorreu meu sexo e eu abri ainda mais as pernas. Meu professor fazia movimentos rítmicos e cadenciados sem parar, eu queria que ele explodisse em velocidade, mas ele ia me matando aos poucos.



- Por favor? – Eu implorei tomada pelo desejo



- Por favor o que, vadia? – Ele perguntou apertando minhas coxas com força.



- Me faça... Gozar... - Gemi.



- Ah... Você vai Delícia. Mas só quando eu quiser. Entendeu?



- EDWARD! – Eu gritei, com um espasmo involuntário nos meus músculos vaginais.



            Ele aumentou o ritmo da masturbação, eu já o ajudava com os meus quadris, mas os seus dedos não pressionavam o suficiente. Ele tirou a mão de lá e eu grunhi.



- Shhhh, calma vadia. Tira a minha cueca, vai... – Eu fiz o que ele mandou. Peguei nas bordas de sua cueca e abaixei até seus joelhos, deixando ele terminar.



              Estávamos os dois completamente nus. Eu peguei em seu pau molhadinho de tesão, a minha tara e a dele se misturando. Era definitivamente uma tora.



              Eu me sentei novamente em cima dele e ele começou a me provocar com o seu pau, passando aquela dureza toda na minha entradinha, sem me penetrar. Eu fiquei roçando meu grelinho por toda aquela extensão e gemia descontroladamente.



              Meu professor urrava comigo e gemia sem parar.



- Isso, delícia... Vai... Uh...



Edward beijou meu pescoço, e falou contra minha pele:



- Deita no chão, vai Delícia. E abre suas perninhas.



Saí de cima dele, e me deitei no tapete. Ele se ajoelhou na minha frente e colocou minhas pernas em seus ombros.



- Eu quero ver sua carinha de putinha quando gozar. - Ele disse, sério.



- Quer é? – Eu provoquei, apertando meus peitos um contra o outro.



- Quero... Você vai gemer pra mim não vai? – Ele apertou seu pau e soltou um rosnado alto.



- UUUUUUUUUUUUUUH!



- Vou. – Eu respondi baixinho.



- Então geme vadizinha. – Ele disse isso e começou a massagear minha buceta com força e velocidade.



 - Oh, ISSO! Vai, assim... Não para! - Eu falava, descontroladamente.



                Ele continuou aquela massagem e eu já estava revirando os olhos de tanto prazer, e logo explodi no que seria o meu primeiro orgasmo, aos gritos.



- OMG, EDWARD...!



                 Meu corpo se tremeu batendo violentamente no chão, forrado apenas com um fino tapete e ele me olhava vadio com um sorriso cínico nos lábios. Eu fui me acalmando, a respiração voltando ao normal e ele sorriu.



- Estamos na metade da primeira lição. - Ele disse, com satisfação.



- Quando você vai me comer? - Implorei.



- Quando chegarmos na lição certa. Agora, Isabella, eu quero que você bata uma punheta pra mim, vai...



- Sim professor Cullen. – Eu respondi sarcasticamente já colocando a mão naquela tora dura.



Passei minhas mãos pela extensão de seu membro, levemente, apenas para testar Edward. Comecei a esfregá-lo, com uma mão somente, e com outra fui de encontro com suas bolas, massageando-as.



- Bella... Uhm... Que mãozinha gostosa... - Edward gemeu. Aquilo me deixou completamente excitada. Mais do que eu já estava.



Comecei a passar minha mão por sua extensão, forte e rápido, e Edward urrava de prazer, o que me dava uma sensação incrível. Poderosa.



- Bella. - Ele falou, visivelmente tentando se controlar.



- Uhm.. - Sussurrei, me controlando para não cair de boca naquele membro duro.



- Vira de quatro. Agora. - Ele falou. – Eu quero gozar no seu rabinho empinado. - Ele disse, mais gemendo do que falando realmente.



Eu fiquei de quatro empinando bem a bunda para receber todo o leitinho dele. Edward grudou uma das mãos no meu rabo, abrindo meu rego. Por uma hora eu pensei que ele me penetraria.



- Oh, SIM! - Edward urrava de prazer.



- Vai, oh... Yes... Isso... Oh... - Ele falou, e em seguida eu senti um líquido quente na minha bunda, escorrendo pelo meu reguinho e indo parar na minha bucetinha..



- OHHH!! - Edward gritou.



Edward bateu seu pau duro na minha bunda, dando “leves” batidinhas sacanas.



Quando Edward terminou, ele me virou de frente e disse:



- Agora limpa! - Minha boca foi de encontro com seu pau, lambendo-o e limpando inteirinho. Edward berrava de prazer.



Edward pegou em meus cabelos, e me forçou a levantar antes que eu pensasse em abocanhar aquela delícia.



- Perfeita, minha vadia... Agora... - Ele falou, me dando um beijo feroz.



Sua língua penetrou minha boca, indo ferozmente de encontro com a minha, hora chupando, hora se enrolando e hora mordendo a minha.



Edward me jogou de volta no sofá, e começou a passar a mão por minha coxa, ferozmente. Apertando, dando tapas fortes. Eu precisava daquele homem dentro de mim... Eu precisava muito...



Edward soltou-me, ofegando. Olhei diretamente para seu rosto, ele estava perfeito. Seus lábios estavam vermelhos e inchados, por conta do beijo feroz, seus cabelos estavam muito bagunçados, deixando seus fios dourados revoltos. Seus olhos verdes me penetravam de uma forma como se quisesse me comer.



Edward saiu de cima de mim, pegando suas roupas no chão.



- A primeira lição acaba aqui, Isabella. - Ele falou, em seguida limpou a garganta.



- Ohh, não, Edward! - Eu gemi, contrariada.



- Sim. E devo dizer que você se saiu muito bem. - Ele falou.



Ele terminou de juntas suas roupas começou a se vestir. Eu estava sem ação. Ele ia mesmo me deixar ali, assim, naquele estado?



Terminando de se recompor, ele pegou seu palitó e se dirigiu a porta.



- Até a próxima aula, Isabella.



- Não vejo a hora. – Eu murmurei para mim mesma. Me perguntando o que eu aprenderia na minha próxima lição.




Próximo capítulo  >>>

9 comentários :

aDOREIIII
QUERO MAIS... POSTA LOGOOO

11 de dezembro de 2010 00:39 comment-delete

que escritora ninfa ! UHSAUHASUHS

12 de dezembro de 2010 14:48 comment-delete

aaaaaaaaaaaaaaah! amei demias.

13 de dezembro de 2010 14:57 comment-delete

Jesus apaga a luz... mais

25 de fevereiro de 2011 21:06 comment-delete

Wow !
Muuuuito Caliente !

3 de março de 2011 15:47 comment-delete

Que safado, hmmm.

Manoella
14 de janeiro de 2012 09:09 comment-delete

caraca que edward

yo
5 de março de 2012 00:11 comment-delete

ô tesão!!!

Dih-san
6 de dezembro de 2014 15:05 comment-delete

Que peeerfeeeito *-*

Anônimo
9 de junho de 2015 23:31 comment-delete

Postar um comentário